Saiba como agir quando o primogênito não aceita a chegada do caçula

Reações agressivas são comuns. Donna Online explica como contorná-las

Deve-se investir nas brincadeiras com o filho mais velho
Deve-se investir nas brincadeiras com o filho mais velho Foto: Divulgação

A notícia da chegada de um irmão caçula gera ansiedade e insegurança nos primogênitos. A delicada questão, comum em famílias que desejam aumentar a prole, é tema do estudo Gestação do Segundo Filho: Percepções Maternas Sobre a Reação do Primogênito, do Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), elaborado por Caroline Rubin Rossato Pereira.

Realizada com oito gestantes no terceiro trimestre de gravidez do segundo filho e com primogênitos em idade pré-escolar (de três a seis anos), a pesquisa buscou examinar o impacto da gestação do segundo filho sobre diversos aspectos das relações familiares. De acordo com Caroline, as mães perceberam mudanças no comportamento de seus filhos durante a gestação, de modo especial no último trimestre. No período, os primogênitos apresentaram um aumento da ansiedade, da irritação e da insegurança.

? Além disso, as mães relataram diferentes sinais de ciúmes pelo bebê: demonstrações claras do medo de perder a atenção, o carinho e o amor da mãe, agressividade dirigida à barriga da gestante e ameaça de comportamentos agressivos para com o irmão após seu nascimento ? descreve.

Embora a criança nem sempre verbalize claramente a ansiedade, as mudanças de comportamento e as manifestações de ciúmes apresentadas devem ser compreendidas dentro de um processo normal de adaptação à nova realidade. Caroline afirma que, mesmo buscando apoiar, preparar e cuidar atentamente da criança, os pais não podem imunizá-la das angústias que cercam, em diferentes medidas, todos os membros da família nesse momento.

De acordo com a terapeuta infantil Soraia Pereira, é natural que o primogênito se sinta inseguro ? estranho é se ele agisse com indiferença. No entanto, quem vai dosar essa reação serão os pais. Para Soraia, eles devem ser firmes e entender que, embora o sentimento seja normal, não é motivo para aceitar tudo o que o filho faz.

? A frustração gera o desejo, e o desejo é que movimenta a vida. Saber lidar com essa frustração é um aprendizado para toda a vida ? diz.

O que fazer
– Investir em brincadeiras e na diversão com o filho mais velho
– Ser tolerante na hora das reações negativas
– Manter algumas atividades para serem feitas unicamente com o filho mais velho

O que não fazer
– Mudanças como troca de escola, retirada da chupeta ou mamadeira, pois trazem uma carga extra de tensão para a criança
– Dar presentes para minimizar as reações agressivas e de ciúmes do primogênito
– Dizer à criança que a ama mais ou que é o filho preferido

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna