Saiba como garantir uma boa saúde ao filho através da higiene bucal da mãe

Não é incomum que a gestante tenha problemas dentários: confira os principais

Uso do método de clareamento não deve ser feito quando há problemas nos dentes
Uso do método de clareamento não deve ser feito quando há problemas nos dentes Foto: Stock Photos, Divulgação

Uma mulher grávida sabe que durante a gestação alguns cuidados devem ser tomados. Evitar alguns alimentos que são fontes de altas calorias e cuidar da saúde do corpo é a melhor forma para garantir uma gravidez tranquila para a mamãe e para o bebê. Mas, e a saúde bucal? O que fazer para que a futura mamãe possa garantir uma boa saúde ao filho desde a barriga cuidando da boca? Quem responde a essas dúvidas é a dentista Fátima Caldeira, do Spa Dental (São Paulo).

A profissional começa dizendo que diferentemente do que muita gente pensa a gestante pode sim receber tratamento odontológico.

– Em qualquer idade gestacional ela poderá ser atendida, embora o segundo trimestre (3º ao 6º mês de gestação) seja o momento mais oportuno, porque nessa fase, ela se encontra num período de maior estabilidade – diz Fátima.

A especialista também lembra que durante a gravidez ocorrem algumas alterações que podem levar a problemas dentais ou gengivais. Os mais comuns são: gengivite gravídica, devido ao aumento dos hormônios progesterona e estrógeno; a presença de náuseas e vômitos frequentes pode afetar o esmalte dos dentes, devido ao aumento da acidez bucal e também o que é conhecido como “secura de boca”.

– Esse problema muito comum durante a gravidez, conhecido também como xerostomia, pode ser amenizado através do aumento do consumo de água, balas ou gomas de mascar sem açúcar – explica.

Sobre o uso da anestesia, a médica diz que não existem riscos, desde que o efeito dos anestésicos e as alterações que ocorrem durante a gravidez sejam de conhecimento do dentista responsável pelo tratamento.

– As gestantes podem apresentar uma elevação da pressão arterial e isso deve ser levado em conta. O dentista junto com o ginecologista deverá escolher o anestésico apropriado. 

E quando as mães são orientadas a terem uma alimentação balanceada não é à toa. A gestante tem que consumir produtos constituídos por diferentes grupos de alimentos, entre eles, carne, frutas, legumes, verduras, cereais, leite e seus derivados.

– A saúde bucal da mãe é muito importante, pois segundo estudiosos da Universidade do Alabama, nos Estados Unidos, uma vez na circulação as bactérias que vivem num sorriso mal conservado disparam reações químicas que apressam o parto – diz. – Se os cálculos forem precisos, uma gengivite aparentemente simples consegue aumentar em até sete vezes as chances de uma mãe ganhar um bebê prematuro – completa.

A especialista também lembra que a saúde bucal da mãe tem tudo a ver com a saúde bucal da criança. Os pais, particularmente a mãe, determinam muito o comportamento que os filhos adotarão para ter uma higiene bucal adequada, pois é a partir do 4º mês de vida intra-uterina que começa a se desenvolver o paladar do bebê. Portanto, a alimentação da gestante será responsável pelas preferências alimentares da criança após o nascimento.

E não esqueça: para se evitar problemas dentais durante a gravidez é necessário uma higiene bucal apropriada e isso só será possível com o acompanhamento de um profissional.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna