Saiba como retardar os efeitos do tempo nos diferentes tipos de pele

Identificar o seu tipo de pele é essencial antes de tratá-la

A pele branca é mais marcada pelas rugas, as asiáticas mancham com mais facilidade e as negras possuem mais artifícios de proteção
A pele branca é mais marcada pelas rugas, as asiáticas mancham com mais facilidade e as negras possuem mais artifícios de proteção Foto: Montagem sobre fotos de Divulgação e Júlio Cordeiro

O envelhecimento da pele é um processo natural e inevitável. Os danos que ela acaba sofrendo ao longo do tempo estão associados à herança genética e a fatores externos, como exposição solar, tabagismo e má alimentação. De acordo com a cirurgiã plástica Cristina Pires Camargo, evoluções recentes da medicina estética comprovaram que cada tipo de pele precisa ser pensada e tratada a partir da raça do paciente.

Segundo ela, até recentemente pessoas de origem asiática, por exemplo, eram tratadas como pacientes de pele branca, o que é um equívoco.

Para se ter uma ideia das nuances entre os diferentes tipos de pele, a especialista destaca que pessoas brancas realmente são mais propensas a apresentar sinais de envelhecimento, como rugas e sulcos, (flacidez da maçã do rosto) se comparadas a negros e a asiáticos.

? A pele branca é menos preparada para suportar as agressões do sol, tendo mais predisposição ao fotoenvelhecimento. Já a melanina contida na pele negra é diferente das demais raças sendo considerada um aliado eficaz contra agressões externas ? explica a médica.

A pele com características asiáticas, por sua vez, apresenta um aumento natural da pigmentação que protege a camada cutânea.

Conforme Cristina, de acordo com o grupo ao qual pertencem, negros, brancos e asiáticos acabam sofrendo lesões muito características na pele.

? Para amenizar as rugas da pele branca, geralmente, recomendamos a aplicação de toxina botulínica tipo A e o preenchimento com ácido hialurônico para melhorar os sulcos ? revela.

? Já para a pele asiática, é indicada a toxina botulínica para corrigir os pés de galinha e aumentar a abertura dos olhos, além do preenchimento para os lábios e maçã do rosto ? assinala.

Ainda segundo a especialista, geralmente, pessoas com a pele negra necessitam de tratamento especial para retardar o envelhecimento na região entre as sobrancelhas, com a aplicação de toxina botulínica, preenchimento e até cirurgia.

? O tratamento do sulco, que marca demais a face negra, pode ser feito com ácido hialurônico na região malar e nos sulcos ? destaca.

:: Características da pele por raça:

Branca
Pele: propensão a ter manchas é pequena ou moderada. A espessura varia de fina à grossa
Estrutura marcante: nariz e região malar

Asiática
Pele: mancha facilmente e tem espessura moderada
Estrutura marcante: região malar e lábios

Negra
Pele: mancha moderadamente e tem espessura grossa
Estrutura marcante: lábios

:: Problemas mais comuns, de acordo com o tipo de pele, levando em consideração a divisão do rosto em terços faciais:

Branca
Da testa aos olhos: rugas ocorrem com intensidade que vai de moderada à grande
Dos olhos à boca: queda de estruturas da face (maçãs do rosto), sulco nasogeniano profundo
Da boca ao queixo: queda de estruturas da face, bigode chinês, excesso de pele na mandíbula

Asiática
Da testa aos olhos: rugas discretas na região dos pés de galinha. Os olhos ficam menores pela queda da pele na região palpebral
Dos olhos à boca: manchas por fotoenvelhecimento, lábios “murcham”, perfil fica plano
Da boca ao queixo: discreta queda de estruturas da face, bigode chinês, excesso de pele na mandíbula

Negra
Da testa aos olhos: rugas profundas na região entre as sobrancelhas
Dos olhos à boca: sulco nasogeniano profundo. Essa região tem aspecto de envelhecimento mais acentuado
Da boca ao queixo: discreta queda de estruturas da face, bigode chinês, excesso de pele na mandíbula

:: Cuidados com a pele:

Cristina explica que, segundo a classificação feita pelo médico americano Thomas Fitzpatrick, da Escola de Medicina de Harvard, a pele pode ser classificada por fototipos. Essa divisão é muito utilizada pelos dermatologistas na hora de determinar ações preventivas aos danos provocados pelo sol.

? O estudo determinou um tipo de classificação para cada pele, baseado na quantidade de melanina existente na pele e nos cabelos, conforme a reação deles à irradiação ultravioleta ? explica.

Classificação de acordo com Fitzpatrick:

Pele muito clara: sempre queima, nunca bronzeia
Pele clara: sempre queima e, algumas vezes, bronzeia
Pele menos clara: algumas vezes queima e sempre bronzeia
Pele morena clara: raramente queima e sempre bronzeia
Pele morena escura: nunca queima e sempre bronzeia
Pele negra: nunca queima, sempre bronzeia

Leia mais
Comente

Hot no Donna