Saiba como se planejar antes de sair de férias com as crianças

Viajar com as crianças é uma experiência que melhora laços entre pais e filhos

Planejar programações infantis e pensar na segurança dos pequenos é fundamental
Planejar programações infantis e pensar na segurança dos pequenos é fundamental Foto: Alan Pedro

Quando formavam apenas um casal, a jornalista gaúcha Gabriela Maraschin e o francês Shay Reboh, doutor em Física, decidiram embarcar em um utilitário comprado com 700 euros e rodar 7 mil quilômetros pela Europa. A experiência se transformou em uma ousada viagem de 30 dias, percorrendo praias, jardins e quintais de dezenas de cidades de seis países e gastando o mínimo possível. Foi, na verdade, um ensaio para a vida em família.

O tempo passou, a barriga cresceu, e Yael nasceu. Hoje, com um ano e oito meses, a pequena de arregalados olhos claros é a mais fiel companheira de viagem dos pais, que vivem em Toulouse, na França. No primeiro teste da filha pelo mundo, aos quatro meses, Gabriela levou-a para conhecer o país onde moram e a Itália. Bem adaptada aos passeios, a menina parecia estar pronta para visitar outros destinos ao lado dos pais.

Em agosto do ano passado, para se aventurar com a filha durante as férias, o carro foi substituído por um maior, com mais espaço para noites de sono tranquilas. Com um plano de viagem de três semanas, percorreram a costa da França e a Espanha, passando pelo País Basco, pela costa das Astúrias e pela Galícia.

– Eu estava tranquila, mas com muita expectativa sobre o passeio. Não sabia se ela teria problemas com a mudança de rotina ou por não dormir no berço. A viagem muda bastante, mas percebemos que ela se adaptava facilmente aos diferentes lugares – conta a mãe.

Yael aproveitou ao máximo. Tomou banho de mar gelado, no chuveiro da praia, fez caminhada pelas montanhas e dedicou os dias chuvosos para ouvir histórias contadas pelos pais. Mostrou-se uma ótima companheira de viagem, motivo suficiente para Gabriela e Shay continuarem programando férias com a pequena – os próximos destinos devem ser a Irlanda ou a Escandinávia – e provando que viajar com os filhos pode ser muito divertido.

Cada vez que surgia um conselho de amigo, a frase parecia não querer entrar pelos ouvidos da educadora e jornalista Adriana Magalhães.

– Prepare-se! Com a chegada dos filhos, você vai parar de viajar de férias e de aproveitar.

Apaixonada por fazer as malas e percorrer o mundo, Adriana engravidou e decidiu não ouvir a opinião dos conhecidos. Embarcou com o marido para uma viagem em família quando o filho mais velho, Arthur, completou três meses. O destino, um resort na costa brasileira. Só para fazer o primeiro teste.

– Com a experiência, percebi que não pararia de viajar, porque gosto muito – afirma.

Com a chegada de Leonardo, hoje com três anos, a aventura aumentou. O planejamento para os passeios ficou mais preciso, assim como a escolha do destino e da hospedagem.

– Antes, ficávamos em qualquer lugar. Hoje, a prioridade é escolher hotéis com mais estrutura e programação para os meninos – conta.

Na bagagem – montada pelo menos cinco vezes ao ano devido à programação do casal, que inclui quase sempre a região de Bariloche (Argentina) – não faltam remédios, seguro saúde e um nebulizador para possíveis crises de bronquite de um dos filhos. No último destino, Portugal, Adriana aproveitou para comprar roupas para as crianças, para facilitar o passeio.

– O que eles ganham em uma viagem é muito mais do que uma aula. Mesmo sendo cansativo, aproveitamos e percebo que nossa relação melhora a cada vez – diz a educadora.

Planeje antes de arrumar a mala

Todo ano a história se repete. Com a chegada do verão, é hora de as famílias colocarem em prática a viagem esperada há meses. Mas, diante da ansiedade e do corre-corre, é comum os pais se esquecerem de detalhes importantes. Por isso, planejamento é fundamental. Leia abaixo dicas que podem ajudar a melhorar o período de férias com os filhos.

CUIDADOS NO VOO

– Para quem viaja de avião, é preciso um cuidado a mais. É importante etiquetar a bagagem com nome, endereço e telefone para contato. No caso de malas com cores mais comuns, como preta e azul, é interessante colocar também um chaveiro ou adesivo para facilitar a identificação.

NO DESTINO FINAL

– Uma vez na cidade escolhida, os pais terão de ficar atentos para que as crianças fiquem em segurança, tenham como se divertir e se alimentem adequadamente. A nutricionista Joana Lucyk lembra que os pequenos precisam se alimentar de três em três horas, para não dar brechas a dores de cabeça, enjoos, náuseas e cansaços. Seguir a instrução da especialista, porém, nem sempre é fácil. Algumas crianças não gostam de parar a diversão para comer, causando estresse nos pais.

DICAS

– Outra forma de aumentar a segurança dos pequenos e conseguir tempo para descansar, é optar por hotéis e resorts com programação infantil e profissionais treinados.

– As crianças também merecem saber o que está sendo programado para as férias. Dizer para onde a família vai e o que elas poderão fazer ajuda a deixá-las menos ansiosas, além de ser um bom momento para os pais passarem orientações.

Vai de quê?

Dependendo do transporte escolhido, algumas medidas podem tornar a viagem mais fácil

DE CARRO

– Faça revisão completa do veículo, calibre e verifique o estado dos pneus.

– Em viagens mais longas, pare de quatro em quatro horas para relaxar, fazer um lanche e esticar as pernas.

– À noite, pare para dormir em algum lugar. Dirigir com sono pode ser arriscado para todos.

– Leve frutas, água e biscoito, para quando a fome e a sede apertarem.

– Tenha também rolos de papel higiênico para casos de emergência.

– Não esqueça da cadeirinha adequada para carregar a criança no veículo.

DE ÔNIBUS

– Separe alimentos como frutas e biscoitos, além de água.

– Lembre-se de levar papel higiênico ou caixa de papel, porque alguns banheiros não dão esse suporte.

– Leve brinquedos para a distrair as crianças.

DE AVIÃO

– Leve remédio para dor de ouvido, caso a pressão interna do avião cause incômodo.

– Leve brinquedos, mas nada muito barulhento ou que precise de espaço para que a criança brinque.

– Em voos com menos de duas horas, tenha biscoitos ou frutas à disposição. Em voos de maior duração, leve um lanche.

NÃO PODE FALTAR

– Documentos (como a certidão de nascimento da criança e a autorização judicial, em casos de pais separados), cartão de vacinação em dia, minifarmácia abastecida com remédios e curativos, fraldas descartáveis, roupas extras, mamadeira, chupeta, papinha, agasalho, mala etiquetada, brinquedos, protetor solar (para maiores de seis meses), repelente, boné.

Leia mais
Comente

Hot no Donna