Saiba como se prevenir da cistite recorrente

O problema pode afetar homens, porém, as mulheres são mais suscetíveis à infecção

Braços e panturrilhas são as partes que menos incomodam
Braços e panturrilhas são as partes que menos incomodam Foto: Lycra, Divulgação

A cistite é uma infecção na bexiga causada, na maioria das vezes, pela bactéria Escherichia coli, encontrada normalmente no intestino. A sensação da cistite é de extremo mal estar, pois provoca ardência na hora da micção, escassez na urina, dores na bexiga, febre e, em alguns casos, até presença de sangue ao urinar.

É denominada cistite recorrente, quando o paciente apresenta mais de 3 a 4 infecções ao ano.

O problema pode afetar homens, mulheres e crianças, porém, são nas mulheres que estão presentes as condições favoráveis para o desenvolvimento das infecções. Sabe-se que 10 a 20% de todas as mulheres adultas sofrem ao menos um episódio de infecção urinária em alguma fase de suas vidas. Por possuírem a uretra mais curta que a dos homens, e uma localização mais próxima ao ânus, a cistite pode acontecer com mais frequencia nas mulheres e desencadear o mal recorrente.

O tratamento repetitivo feito com antibióticos pode não ser mais eficiente quando a bactéria torna-se resistente a determinado antibiótico. Nessa hora, é comum que a mulher se automedique, colocando a sua saúde em risco expondo-se a novos episódios de infecção.

Além disso, estudos demonstram que a prevenção da recorrência por meio de antibioticoterapia prolongada por 12 a 24 meses, quando descontinuada, leva a uma recorrência em 60% das mulheres em 3 a 4 meses.

Uma opção eficaz que existe hoje para prevenção da recorrência, é por meio do fortalecimento das defesas imunológicas dos pacientes, com a vantagem de não causar resistência bacteriana. O tratamento tem por base a imunoterapia oral, reduzindo consideravelmente a freqüência da repetição da doença porque atua na causa da recorrência por estimular as defesas naturais do indivíduo.

Leia mais
Comente

Hot no Donna