Saiba o que difere os sabonetes íntimos femininos dos normais

Será que esse é mesmo um item indispensável para a higiene?

A oferta de sabonetes íntimos femininos no mercado é cada vez maior
A oferta de sabonetes íntimos femininos no mercado é cada vez maior Foto: Guto Kuerten

A oferta de sabonetes íntimos cresce a cada dia. Nas farmácias eles estão, geralmente, expostos nos caixas e quase sempre algum está em promoção. Até mesmo marcas conhecidas de cosméticos estão fabricando e aumentando as linhas desse tipo de produto, que aparece em fragrâncias variadas.

Mas esse é mesmo um item indispensável para a higiene íntima? Quando se deve usar? Qual a diferença desses sabonetes para os outros? Essas são algumas dúvidas femininas quando se trata de bem-estar. A explicação está na composição e no pH, idêntico ao da mucosa vaginal.

– O sabonete ideal para a higiene íntima deve ser um sabonete líquido, sem coloração e sem perfume e que não contenha soda cáustica na sua composição. A soda cáustica, com pH altamente alcalino, é usada para endurecer o sabonete e é extremamente danosa à microbiota vaginal (conjuntos de microorganismos que ficam na vagina) –explica a farmacêutica e bioquímica Evelise Luciano.

Segundo a ginecologista Neuza Bornholdt, esse tipo de sabonete não é imprescindível e o que vale mesmo é uma higiene bem feita. Contudo, ela ressalta que, como o pH desse tipo de sabonete é realmente mais ácido, semelhante ao da mucosa vaginal, ele pode evitar o aparecimento de fungos e bactérias, pois não elimina a acidez natural.

Ginecologistas concordam quando o assunto é a necessidade do uso.

– Esses sabonetes não são indispensáveis, mas ajudam a evitar coceiras e corrimentos quando não possuem coloração e pelo pH idêntico ao das mucosas – avalia a médica Adriane Pogere.

Sabonetes neutros também são indicados pela ginecologista.

– Mas, se uma das preocupações for a eliminação de odores, o sabonete liquido íntimo é o mais indicado – destaca Adriane.

Os médicos orientam também que os sabonetes sejam aplicados apenas na parte externa da vagina. Duchas não são recomendadas para fazer a higiene com esses produtos.

– Algumas mulheres entendem que, como o sabonete é denominado “íntimo”, deva ser usado para a higiene intravaginal. Não existe essa necessidade – afirma a ginecologista Eliane Sonsini.

Segundo a médica, ele funciona como qualquer outro sabonete antiséptico e também não precisa ser usado todos os dias, a não ser em casos de corrimento. Quem preferir usar sabonetes comuns deve optar pelos infantis ou neutros – conclui Eliane.

A composição química é o que difere os tipos de produtos. Abaixo você confere a indicação de cada composto. Eles devem estar presentes no seu sabonete íntimo.

Ácido láctico – atua mantendo o pH vaginal ácido. Essa acidez é necessária para manter vivos os microorganismos e lactobacilos que vivem nessa região e têm como função proteger a mulher de possíveis infecções.

Triclosan – atua como bactericida e germicida.

Bisabolol – tem qualidades cicatrizantes e de combate ao prurido. Extratos de menta, alecrim, óleo de melaleuca, camomila, melissa são igredientes de excelente poder antiséptico, anti-inflamatório e calmante.

Mentol e Timol – extraídos dos óleos essenciais, também ajudam a manutenção do pH natural e são de ação refrescante. Os sabonetes líquidos íntimos são produtos medicinais (antisépticos) e é aconselhável que sejam testados ginecológica e dermatologicamente. Esses resultados de análises bacteriológicas, quando feitas, devem constar da bula ou rótulo do produto. Fique atenta!

Fonte: farmacêutica e bioquímica Evelise Luciano

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna