Saiba quando recorrer à terapia de reposição hormonal

A orientação médica é imprescindível antes de aderir ao tratamento

Personagem de Sex and the City adere à terapia para combater e amenizar os efeitos da menopausa
Personagem de Sex and the City adere à terapia para combater e amenizar os efeitos da menopausa Foto: Warner Bros.

A exemplo da personagem Samantha, da série Sex and the City, mulheres aderem à terapia de reposição hormonal para combater e amenizar os efeitos da menopausa, mas também a utilizam como se fosse um complemento ao tratamento de beleza. As vantagens existem, assim como os riscos. Ao mesmo tempo em que é receitado para curar um câncer de mama, é acusado de ter causado outro. A orientação médica é a única regra diante da guerra publicitária que aquece o mercado dos hormônios sintéticos.

Precisa de ajuda?

Você tenta, tenta, e não consegue emagrecer de jeito nenhum. Sim, o seu problema pode ser o hipotireoidismo. Este diagnóstico deve ser investigado, por um médico, especialmente se você responder afirmativamente a pelo menos cinco destas questões:

1. Eu me sinto cansado, sem energia e força

2. Meus pensamentos ficam nebulosos, minha concentração e minha memória ficam pobres

3. Tudo em meu corpo parece estar decaindo, inclusive meu metabolismo, e meu peso está aumentando

4. Minha pele e meu cabelo estão secos e pálidos

5. Eu sinto frio na maior parte do tempo, mesmo quando as outras pessoas não sentem

6. Eu tenho pensamentos negativos a maior parte do tempo e me sinto deprimido(a)

Como funcionam

:: Os hormônios são mensageiros químicos lançados no sangue que agem em células ou tecidos-alvos. São produzidos pelas glândulas endócrinas e existem mais de cem, sendo uns mais conhecidos do que outros.

:: Com tamanho de moléculas ? mas capazes de derrubar um adulto ? os hormônios regulam o funcionamento do corpo, como se fossem a gasolina do nosso organismo. Responsáveis por coisas tão diversas, como a vontade de sair da cama de manhã e a produção do leite materno, o menor desequilíbrio na produção dessas substâncias provoca sintomas desconfortáveis, como queda de cabelo, ganho de peso, fraqueza e irritação. Um maior desequilíbrio, entretanto, pode causar doenças mais sérias, como câncer.

:: Tudo começa no cérebro. É de lá que surgem as primeiras instruções para a liberação dos hormônios. O hipotálamo é uma espécie de gerente da rede, que comunica-se com o sistema nervoso e avisa para os produtores de hormônios qual é a quantidade necessária para garantir o funcionamento da “fábrica”.

:: “O hipotálamo é o centro regulador que cuida do equilíbrio do corpo. Ele capta informações dos órgãos e do ambiente externo para orientar toda a atividade metabólica da pessoa”explica o endocrinologista Neuton Dornelas Gomes, presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia no Distrito Federal.

Os principais hormônios

:: Insulina: a chave para a energia

Onde é produzida: pâncreas

Onde atua: é a responsável pela entrada da glicose nas células, onde é convertida em energia. Também atua no cérebro (hipotálamo), onde estimula a sensação de saciedade, sobretudo depois da ingestão de alimentos gordurosos e ricos em açúcar, que demandam a liberação de doses altas do hormônio. Quando o pâncreas produz uma quantidade insuficiente de insulina, as células do organismo se tornam resistentes à ação do hormônio e surge o diabetes.

:: T4: a química da estabilidade

Onde é produzido: glândula tireoide

Onde atua: no metabolismo. É uma espécie de maestro do ritmo de funcionamento do organismo. Na pele, participa na produção de suor. Também atua no coração, participando do mecanismo de contração e relaxamento cardíacos (o que determina o ritmo dos batimentos) e no cérebro (hipotálamo, tronco cerebral, amígdala e córtex cerebral). Ativa os centros associados à disposição física e ao bem-estar.

:: Melatonina: sono e tranquilidade

Onde é produzida: na glândula pineal

Onde atua: no cérebro (hipotálamo). Mantém o equilíbrio entre as fases principais do sono e desencadeia a sensação de relaxamento.

:: GH: a substância da juventude

Onde é produzido: na glândula hipófise

Onde atua: nos músculos, unhas, pele e cabelos, participando do mecanismo de regeneração das células. Também estimula a formação óssea e é essencial para a renovação celular. No fígado, contribui para a síntese de proteínas e no cérebro, atua no hipotálamo, tronco cerebral, amígdala e córtex, onde provoca a sensação de vitalidade e de bem-estar.

:: Oxitocina: o hormônio das grávidas

Onde é produzida: no cérebro (hipotálamo)

Onde atua: Estimula as contrações do útero no trabalho de parto e durante a relação sexual. Participa da contração das células musculares das mamas, propiciando a produção de leite. No pâncreas, auxilia a produção de insulina pelas células beta. Também está envolvida na formação de espermatozoides. No cérebro (lobo frontal, amígdala, hipotálamo e tronco cerebral), ativa as regiões cerebrais relacionadas às sensações de autoconfiança, vínculos de afeto e relaxamento.

:: Testosterona: substância de macho

Onde é produzida: testículos e ovários

Onde atua: aumenta a massa muscular, em especial na região peitoral e nos ombros. Também participa do crescimento de pelos e da oleosidade, essencial para manter o viço da pele. Mantém as células formadoras de ossos. É outro hormônio fundamental para a formação dos espermatozoides. Também interfere na vibração da voz e participa do processo de renovação celular e na libido.

:: Estrógeno: o arquiteto das curvas femininas

Onde é produzido: nos ovários

Onde atua: é fundamental no processo de renovação das células da pele. Estimula o acúmulo de tecido adiposo na região dos quadris e das mamas. Funciona como combustível para a libido.

:: Progesterona: a TPM é culpa dela

Onde é produzida: nos ovários

Onde atua: prepara o útero para receber o óvulo fecundado, aumentando a circulação sanguínea e a formação de muco. Durante a gravidez, inibe as contrações, impedindo a expulsão do embrião. Participa do processo de reabsorção de água e sal, sem o qual o organismo perde o equilíbrio hídrico. Age também nas glândulas mamárias, de forma a aumentar a sua capacidade de secretar leite. Pode interferir no humor.

:: Cortisol: alta tensão

Onde é produzido: nas glândulas suprarrenais

Onde atua: nos vasos sanguíneos, sendo responsável pela manutenção da pressão arterial. Interfere no metabolismo de glicose no sangue e aumenta a resistência do organismo à ação do hormônio insulina, favorecendo a disponibilidade da oferta de glicose para o cérebro em momentos de necessidade, como em situações de estresse. No coração, estimula a contração muscular e os batimentos cardíacos.

:: Grelina: bom de garfo

Onde é produzida: no estômago, no pâncreas e hipotálamo

Onde atua: no coração, participa do mecanismo de bombeamento de sangue do músculo cardíaco para o resto do organismo. Também estimula o apetite.

:: Leptina: substância da saciedade

Onde é produzida: nas células de gordura

Onde atua: nos ossos, músculos, tendões, ligamentos e articulações. Aumenta a capacidade de síntese de glicogênio e ácidos graxos, o que garante a boa nutrição (consequentemente, a boa saúde) desses tecidos. No cérebro (hipotálamo), ativa o mecanismo de saciedade.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna