Sakineh ainda não foi executada, diz representante de ONG

Iraniana foi condenada a morrer apedrejada após ser acusada de adultério

A ajuda especializada para decorar reflete em planejamento, boas ideias e até economia
A ajuda especializada para decorar reflete em planejamento, boas ideias e até economia Foto: Stock Photos, Divulgação

A iraniana Sakineh Mohammadi Ashtiani ainda não foi executada, afirmou a porta-voz do Comitê Internacional Contra o Apedrejamento, Mina Ahadi.
  
? A senhora Ashtiani ainda não foi executada hoje, mas a situação para ela continua perigosa ? pontuou Ahadi, segundo a qual “as pressões dos governos europeus sobre o regime de Teerã” contribuíram para a decisão do governo iraniano de mudar a condenação de morte por apedrejamento para morte por enforcamento.
  
Também se manifestou sobre o caso a escritora italiana Azar Nafisi, que em entrevista ao jornal italiano La Repubblica disse que “o regime [iraniano] está em pânico, está agindo com grande estupidez. Não se pode parar porque o caso de Sakineh é um marco e porque é no silencio que acontecem as piores coisas”, afirmou.
  
Na entrevista, a escritora também convidou a comunidade internacional a não reduzir a atenção sobre a mulher condenada a morte.
  
A iraniana Sakineh foi condenada a morrer apedrejada após ser acusada de adultério, mas a pena foi suspensa em agosto. Em setembro, as autoridades de Teerã anunciaram que ela seria enforcada por ser cúmplice no assassinato do marido.

Ontem, terça-feira, o governo da Itália fez um novo apelo para evitar que a iraniana seja obrigada a cumprir a pena de morte à qual foi condenada.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna