Sexo e doces ajudam a aliviar o estresse e a ansiedade, diz estudo

Procurar sexo depois de um dia estressante é comportamento típico masculino, afirma sexóloga

Chocolate proporciona sensação de bem-estar mas pode causa ainda mais ansiedade se consumido em excesso
Chocolate proporciona sensação de bem-estar mas pode causa ainda mais ansiedade se consumido em excesso Foto: Artur Moser

Além de proporcionarem prazer, o sexo e o consumo de doces, são eficientes para aliviar o estresse e a ansiedade segundo um estudo da Universidade de Cincinnati, nos Estados Unidos. De acordo com os pesquisadores, estes dois atos servem como tipos de recompensas naturais e reduzem as respostas neuroendócrinas, cardiovasculares e comportamentais do estresse.

Os testes realizados em laboratório comprovaram que a ingestão de alimentos com sabor doce acentuado reduz a frequência cardíaca e é capaz de diminuir o nível de hormônios ligados ao estresse. De acordo com a nutricionista Joana Lemos, o açúcar já é conhecido por proporcionar sensação de bem-estar, o que pode auxiliar no alívio depois de uma rotina pesada.

? O doce libera substâncias da família das endorfinas para o cérebro, que dão sensação de prazer, assim como os exercícios físicos. Porém, é preciso ter cuidado pois ele vicia e engorda ? alerta a nutricionista.

Em compensação, o alívio pode ser momentâneo e causar um “efeito rebote”:

? Passado a sensação boa, pode causar mais ansiedade, e fazer a pessoa comer ainda mais doces. Não se pode usar isso como desculpa para aliviar o estresse. Um pedacinho só já dá o mesmo efeito da barra inteira.

“Sexo só alivia se houver orgasmo”, diz especilista

Para a ginecologista e sexóloga Jaqueline Brendler, membro da diretoria da Associação Mundial de Saúde Sexual, a relação entre sexo e estresse não é tão simples. Segundo ela, o ato sexual tem a finalidade básica de proporcionar prazer e só traz alívio das tensões causadas pelo estresse, na maioria das vezes, quando o orgasmo ocorre.

? Não é todo sexo que relaxa. Se não houver orgasmo, não há aumento de oxicitocina no organismo. Então ela pode continuar tensa e estressada.

A oxitocina é o principal hormônio responsável pelas contrações musculares durante o orgasmo. Segundo ela, o que relaxa, é período chamado resolução, que vem após o ápice da relação. Depois do orgasmo, a pessoa sofre um relaxamento de toda musculatura, aliviando a tensão, e ainda tem a sensação de bem-estar.

? A substância é famosa também por fortalecer o vínculo afetivo entre as pessoas durante a relação sexual com orgasmo.

Mas buscar o ato sexual como uma forma de aliviar tensões acumuladas durante o dia não é um hábito comum a ambos sexos:

? Procurar sexo para aliviar estresse é um comportamento típico do homem. Para a mulher, o ato é muito mais afetivo. O alívio, para a mulher, é uma consequência da relação sexual ? afirma Jaqueline.

A sexóloga explica que, depois de um dia estressante, o homem costuma procurar o sexo como uma recompensa. Mas ela alerta que essa atitude, quando ocorre repetidas vezes, pode frustrar a parceira.

Leia mais
Comente

Hot no Donna