Show do Ney Matogrosso em Joinville foi cheio de clássicos da MPB com nova roupagem

Artista levou todos de volta ao passado

Aos 69 anos, Ney ainda é todo energia quando sobe ao palco
Aos 69 anos, Ney ainda é todo energia quando sobe ao palco Foto: Jessé Giotti

Quem assistiu a Ney Matogrosso performatizar toda sua extravagância na primeira passagem por Joinville, há 12 anos, pode ter se envolvido por um certo déjà vu na atmosfera da Liga da Sociedade Joinvilense, nesta quinta, no retorno do artista à cidade.

Afinal, a nostalgia das letras já eternizadas e a energia daquele “senhor” de 69 anos pareciam insinuar que o artista levou todos de volta ao passado ou que o tempo não passou. Ney enfeitiçou o público e as novas gerações joinvilenses com um “Beijo Bandido” sutilmente mais contido desta vez.

É o nome do show da apresentação de desta quinta e também o título de seu 32º disco na carreira. Como a turnê prometia, a voz dele fez ecoar pelas paredes da Liga uma seleção de canções suaves e notadamente românticas.

“Tango Para Teresa”, de Jair Amorim e Evaldo Gouveia, foi o cartão de visita no reencontro com a cidade. Esta e uma porção de outras canções do repertório de desta quinta até já haviam sido interpretadas em shows antigos. O detalhe é que os joinvilenses revisitaram cada música embalada por novos arranjos e diferentes roupagens.

Inovações à parte, Ney Matogrosso provou ter no DNA sua marca visceral. Conversou em silêncio com o público, falando por gestos lascivos e olhares que sempre foram peculiares a ele.

Nessa balada intimista, o paletó e a gravata logo foram dispensados. Assim como a camisa, que se abriu nas primeiras gotas de suor. Bastou para arrancar aplausos e suspiros tímidos à penumbra do palco. Quem perdeu pode correr para a “reprise” desta noite em Curitiba. Ney Matogrosso volta a dar beijos bandidos no palco do Guaírão, às 21 horas de hoje.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna