Soja é mais eficaz na redução do colesterol do que o leite, dizem cientistas

Estudo foi feito com pessoas com níveis de colesterol moderadamente elevado

Resultados reforçam a ideia de que a proteína da soja faz bem à saúde do coração
Resultados reforçam a ideia de que a proteína da soja faz bem à saúde do coração Foto: Arivaldo Chaves

Um estudo publicado no Journal of Clinical Lipidology mostrou que a proteína da soja apresentou melhor resultado na redução do colesterol total e colesterol não-HDL que a proteína do leite em pacientes com níveis de colesterol moderadamente elevados. Segundo a co-autora do estudo e líder de Nutrição e Ciência da Solae, Elaine Krul, a novidade pode ser usada para melhorar a qualidade de vida de quem sofre com o problema.

? O fato de nesse estudo a proteína da soja ter reduzido significativamente os níveis de colesterol não-HDL quando comparada à proteína do leite é algo muito promissor ? ressaltou.

? O colesterol não-HDL tem se mostrado como um preditor de risco para doenças cardiovasculares e mortalidade mais frequente que o colesterol LDL ? explicou.

Elaine conta que o estudo foi feito com dois testes paralelos e avaliou os efeitos de uma fração insolúvel da proteína de soja, comparada com as proteínas do leite integral com elevado teor de cálcio, em relação ao perfil lipídico em jejum.

? Os resultados deste estudo também mostraram que a proteína de soja reduziu o colesterol não-HDL por meio de um mecanismo que não envolve o aumento da excreção de ácidos biliares, mas por algum outro mecanismo, que ainda precisa ser determinado ? destacou Kevin Maki, principal autor do estudo.

? No entanto, estes resultados sustentam a alegação de que a proteína da soja faz bem à saúde do coração ? afirmou.

Recomendação: 25 gramas de soja por dia

O Food and Drug Administration (FDA), órgão governamental dos Estados Unidos que faz o controle dos alimentos, aprovadou em 1999, uma resolução que recomenda o consumo de 25 gramas de proteína de soja por dia, como parte de uma dieta pobre em gordura saturada e colesterol, para reduzir o risco de doença cardíaca.

Em 2005, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) seguiu a recomendação do órgão estadunidense e passou a orientar os brasileiros a consumirem 25 gramas de proteína de soja ao dia na tentativa de reduzir a incidência do problema entre a população.

Leia mais
Comente

Hot no Donna