Sol, sim. Pimentão, não

Os bebês têm a pele mais sensível ao sol e devem ser protegidos com acessórios e cremes especiais

Cantora visitou as pirâmides de Gizé
Cantora visitou as pirâmides de Gizé Foto: Egyptian Supreme Council of Anti, EFE

Se a pele dos adultos exige uma série de cuidados contra o sol e o calor, que dirá a dos bebês. Os pequeninos têm uma desvantagem extra: nos primeiros meses de vida, são sensíveis demais a alguns componentes dos protetores solares, como a ureia.

– A criança desidrata mais fácil porque sua muito. A regulação térmica ainda está em formação. A pele dela também é cerca de 40% mais fina, então absorve tudo muito mais rápido do que um adulto – explica a dermatologista Luciana Cattini.

Na dúvida, é melhor protegê-los com chapéus e mantê-los sob o guarda-sol. Depois dos seis meses, a criança pode começar a usar filtros solares especialmente desenvolvidos para bebês. Além do Fator de Proteção Solar (FPS) – número que indica o nível de proteção contra raios ultravioleta B (UVB) -, as mães devem observar se o produto protege a criança de raios UVA, aqueles de penetração mais profunda na pele. Ambos os tipos de radiação são nocivos ao organismo e predispõem ao câncer.

– O ideal é um filtro fator 60, que oferece maior proteção física à pele do bebê. O produto também deve ter uma densidade mais oleosa, e ser reaplicado pelo menos a cada duas horas – ensina Luciana.

Além do protetor, é recomendável um bom emoliente ou hidratante infantil. Embora os pequenos exijam uma atenção especial, também não precisam ser superprotegidos.

– Mãe tem mania de agasalhar, mas tem que pensar: como ela mesma se sentiria se saísse na rua toda vestida em um dia de calor? – questiona a pediatra Vera Bezerra.

Segundo a médica, o ideal é vestir o bebê com roupas claras e leves, além de um chapéu. Caso a criança fique com muito calor, uma boa solução é passar um pano molhado no berço e dar mais banhos por dia, sem sabonete.

– É importante evitar o ar-condicionado, assim como os bichinhos de pelúcia e os mosquiteiros, pois são fontes de poeira e ácaro – aconselha Vera.

Para todas as idades

De zero a um mês

:: Evite, ao máximo, a exposição intensa ao sol. A exposição pode ser feita nas primeiras horas da manhã, até as 8h e, no máximo, por 10 minutos, com braços e pernas descobertos.

De um a seis meses

:: Evite o sol depois das 10h e antes das 16h. Se precisar expor o bebê ao ar livre nas horas mais quentes do dia, aplique o protetor solar apropriado para a idade, com FPS 60, no mínimo.

A partir dos seis meses

:: Pais devem dar preferência a uma alimentação leve, rica em frutas,suco e água. A partir dessa idade, a criança pode usar o protetor com mais segurança e frequentar a praia, sem ficar muito tempo no sol ou na água.

Fonte: Vera Bezerra, pediatra

Leia mais
Comente

Hot no Donna