Técnicas permitem às mulheres suspender a menstruação

Procedimento é defendido por alguns especialistas, porém há efeito colateral

Atividades físicas e alimentação correta ajudam a amenizar as cólicas
Atividades físicas e alimentação correta ajudam a amenizar as cólicas Foto: Cezar Freitas

Menstruar ou não? Bom seria se a resposta para esse dilema se resumisse a um simples sim ou não. A princípio, incômodos típicos da menstruação como enxaquecas, sensibilidade nas mamas, cansaço, tristeza e irritabilidade podem ser praticamente eliminados com o fim da menstruação. Mas, como tudo o que concerne ao organismo humano, cada caso é um caso.

Se, para algumas, a interrupção da menstruação com hormônios é o mais indicado, para outras, uma simples mudança na alimentação pode ser a solução ideal.

O primeiro a levantar a bandeira da supressão da menstruação, ainda na década de 1990, foi o endocrinologista e ginecologista baiano Elsimar Coutinho. Na ocasião, ele publicou o livro Menstruação, a Sangria Inútil, no qual defende a interrupção da menstruação para tratamento e prevenção de males como endometriose, mioma uterino, anemia e TPM. Segundo ele, do ponto de vista endócrino, quando a mulher ovula é como se estivesse grávida. A menstruação seria, então, um aborto do óvulo não fecundado. Para Coutinho, esse processo mensal debilita a mulher e contribui para o desenvolvimento de doenças como anemia, miomatose, entupimento de trompa, doença pélvica inflamatória, ovário policístico, infertilidade, câncer, entre outros. Em resposta às críticas contra a interrupção, ele é categórico:

? Meus argumentos são fundamentados em anos de pesquisa. Aos que se opõem, acredito que não conheçam o assunto, se conhecessem não poderiam ser contra. Muitos falam que as regras são um processo natural e são, de fato. Mas, seguindo essa lógica, o natural seria engravidar.

Ele afirma que, antigamente, as mulheres tinham mais filhos e, portanto, menstruavam menos.

? Elas passavam a idade fértil engravidando e amamentando. Hoje, elas têm dois filhos, menstruam cedo e entram na menopausa tarde. Quanto maior o número de menstruações, maior o risco de desenvolver doenças.

Para alguns médicos, no entanto, a supressão da menstruação só deve ser receitada quando a mulher sofre a tal ponto com TPM ou cólicas que isso a prejudique. É a opinião do ginecologista e obstetra Roberto Sizenando. Quando opta por esse tipo de tratamento, ele sugere outros caminhos.

E alerta que não existe pílula anticoncepcional cíclica ou contínua sem efeito colateral.

? Aumento de peso, retenção de líquido, diminuição da libido, sempre tem consequências. É o preço.

Leia mais
Comente

Hot no Donna