Terapia: atitudes simples e diárias são essenciais para evitar o estresse

Descobrir prazeres no cotidiano é um caminho para driblar antidepressivos

Sucos à base de frutas frescas são a sugestão para uma torcida sem excesso calórico
Sucos à base de frutas frescas são a sugestão para uma torcida sem excesso calórico Foto: Divulgação

A ansiedade sentida diariamente tornou-se sufocante. Maria Solange Peron, 30 anos, começou a perceber a inquietação após a morte de seu irmão, há oito anos. Devagarinho, a sensação foi aumentando de intensidade. Junto com o nascimento da filha, há seis, despontou o medo na maioria das vezes irreal de que algo de ruim acontecesse com a pequena Júlia.

Mãe, dona de casa, profissional que atua como projetista, o tempo de Maria Solange é escasso. Aliado às perdas e medos inerentes à condição humana, pimba! O nível de estresse chegou ao limite há dois anos e, com a ajuda de um médico, a moradora de São Lourenço de Oeste, no Oeste de Santa Catarina, caiu no antidepressivo.

O cenário pintado até agora parece triste. E foi mesmo. Mas há pouco tempo, a projetista descobriu sua terapia particular. Aquela que gradativamente livrou-a das caixas de remédio tarja preta. Há um mês, abriu mão da medicação, com segurança.

Remedinho caseiro

A terapia de Maria Solange é simples. Chama-se amigos. A prática de conversar todo dia com a melhor amiga pelo MSN, de tomar um café no final da tarde com “as meninas”, depois de um dia corrido de trabalho, ou os jantares promovidos no final de semana com os casais que fazem parte da turma, têm o poder prodigioso de desestressar Maria Solange.

– O que seria de mim sem meus amigos? Com eles, vivo momentos onde esqueço os problemas de casa e do trabalho. Busco neles os ingredientes para minha terapia – conta ela.

Nas palavras de Maria Solange estão a chave do bem-estar pessoal. Desligar-se do mundo tido como real. Esquecer, sair do ar… Encontrar no cotidiano atividades que levem a esse estado de consciência é essencial para evitar o desencadeamento de doenças psicológicos e físicas que nos levam, inevitavelmente, ao consultório ou ao divã.

A massoterapeuta Gerli Bonemann explica que, quando não se dá vazão às tensões diárias, elas se acumulam pelo corpo e se manifestam naquelas partes do corpo que costumam estar doloridas.

– A tensão exagerada antecede a doença. Quando acumulada, impede a circulação de energia pelo corpo, que é o que nos dá equilíbrio. A consequência é a somatização da doença – diz.

A psicóloga Dâmaris Oliveira Batista da Silva resgata o conceito de saúde, adotado desde 1948 pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que já apontava para a importância do equilíbrio biológico, psicológico e social para a saúde. O texto define que “Saúde é o estado do mais completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de enfermidade”.

Busca por prazeres

Exercitar o relaxamento é uma atividade que deve ser diária. Segundo Dâmaris, a busca por esses prazeres está diretamente relacionada à vontade de viver. Na medida em que atividades prazerosas ficam de lado, pensamentos e sensações negativas se intensificam, o que está ligado a sentimentos de “fim de vida”.

Dâmaris diz que o caminho para descobrir qual é a “sua terapia” é o autoconhecimento e maturidade:

– Ao prestar atenção em si próprio, você percebe quando o estresse está exagerado. A partir daí, cada um descobre o que lhe deixa bem.

Atividades como ler ou ir ao cinema, lembra a psicóloga, são consideradas relaxantes, porque nos mostram outros estilos de ser, enunciando novas possibilidades para se portar no dia a dia.

PARTICIPE: qual é a sua terapia?

Ainda não sabe como relaxar? Veja as dicas:

::: Da professora de yoga Fabiana Budy Winiawer:

– Procure uma posição confortável, feche os olhos e preste atenção na sua respiração. Assim que perceber que está bem concentrada na respiração, comece expirar soltando o estresse ou tensão e inspire pensando que está recebendo paz e calmaria. Aos poucos, a respiração ficará mais calma e lhe trará relaxamento. Faça todos os dias pelo menos 10 respirações.

– Para quem passa muito tempo sentado: deite e coloque as pernas para cima, apoiadas na parede. A inversão fará com que o sangue desça e irrigue outras partes do corpo. Permaneça na posição uns 20 minutos. Ao se levantar novamente, terá ativado a circulação sanguínea, levando vitalidade para todo o corpo e promovendo descanso físico.

::: Da massoterapeuta Gerli Bonemann:

– Automassagem. É simples. Procure tocar as partes do corpo que estão doloridas, fazendo compressão

– Para dor de cabeça, solte os cabelos, entrelace os dedos nos fios e puxe para fora

– Para aliviar a tensão, faça o toque de compressão nas extremidades do corpo: pés, mãos e cabeça

– Tenha um espaço da casa para você mesma. Aquele lugar onde você para, fica quieta e entra em contato com suas sensações e vontades.

::: Da neurologista Ana Magda Bruscato:

– Durma. Durma. Durma. O sono é o principal reparador do desequilíbrio entre hormônios e neurotransmissores, provocado pelo estresse do dia a dia

– Descubra uma atividade física que te dê prazer e pratique regularmente.

::: Da psicóloga Giovana Tessaro:

– Coloque sua atenção nas regiões do corpo que estão apoiadas: braços, costas, quadril, coxas, ou apenas nos seus pés, se estiver em pé ou caminhando. Isso ajuda a trazer para o presente e faz você sentir apoio.

– Facilite sua vida simplificando métodos e atividades. Por exemplo: muitos cartões de crédito para administrar, ou perda de controle na hora de comprar? Tenha apenas um cartão de crédito e, de preferência, só saia com ele se precisar comprar algo.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna