Tire suas dúvidas sobre a camisinha feminina, opção de prevenção para as mulheres contra a aids

Neste dia 1º de dezembro é comemorado o Dia Mundial de Luta Contra a aids

Campanha incentiva o uso do preservativo feminino
Campanha incentiva o uso do preservativo feminino Foto: Salmo Duarte

O Brasil é um dos países do mundo a distribuir a camisinha feminina gratuitamente em serviços públicos especializados, como insumo estratégico de prevenção de infecções sexualmente transmissíveis, incluindo o HIV.  O preservativo é oferecida juntamente com a caminha masculina aumentando a proporção de relações sexuais protegidas, sem desestimular o uso da camisinha masculina e, ao mesmo tempo, fortalecendo a capacidade de negociação das mulheres. Até o momento mais de 16 milhões de camisinhas femininas foram distribuídas gratuitamente no Brasil.

Segundo o Ministério da Saúde, o vírus do HIV está no 5° lugar do ranking das doenças que mais matam no mundo. A discriminação e o preconceito contra as pessoas que possuem o vírus HIV/aids são as maiores barreiras no combate à epidemia, ao adequado apoio, à assistência e ao tratamento da aids e ao diagnóstico.

? A camisinha masculina é muito popularizada, porém, não é a única forma de prevenção. Além dela, existe a camisinha feminina que enfrenta tabu e preconceito por falta de conhecimento. A prevenção deve estar sob a responsabilidade de ambos os sexos, independente de qualquer fator ou circunstância ? ressalta Simone Martins, que trabalha na fabricante Semina.

Segundo Simone, no momento da relação sexual a mulher se sente constrangida em pedir para o parceiro colocar a camisinha, por temer que ele sinta desconforto na relação. Por isso, a camisinha feminina se torna uma opção de prevenção, uma vez que facilita a negociação da prática do sexo seguro.

Para esclarecer dúvidas sobre a camisinha feminina, Simone elaborou “mitos e verdades” sobre a camisinha feminina:

:: A camisinha feminina é segura?
VERDADE. Estudos clínicos demonstraram que a camisinha feminina de borracha nitrílica (material sintético) é um método bastante seguro e eficaz na prevenção de infecções sexualmente transmissíveis, incluindo o HIV.

:: O material da camisinha feminina faz barulho durante a relação sexual?
MITO. Existem alguns relatos de que as primeiras camisinhas femininas, fabricadas em poliuretano, faziam barulho. Já a camisinha feminina de borracha nitrílica, um material mais fino e macio, proporciona uma relação sexual mais prazerosa tanto para a mulher quanto para o homem.

:: A camisinha pode ser colocada antes da relação sexual?
VERDADE. A camisinha feminina pode ser colocada antes ou no momento da relação sexual. 

:: A camisinha pode desaparecer dentro do corpo da mulher?
MITO. A camisinha feminina cobre o colo do útero e a abertura do colo é tão pequena que impossibilita a passagem da camisinha através dessa abertura.

:: A camisinha feminina depende da ereção do pênis?
MITO. Como a camisinha feminina é colocada dentro da vagina, não depende da ereção do pênis. Muitos homens sentem-se mais confortáveis quando sua parceira usa a camisinha feminina, pois não aperta o pênis e não incomoda durante a relação sexual.

:: A camisinha feminina pode causar alergia?
MITO. A camisinha feminina é feita de um material antialérgico e, por isso é uma excelente opção para homens e mulheres que têm alergia ao látex. Além disso, o uso da camisinha feminina não apresenta efeitos colaterais.

:: A camisinha feminina é mais segura na proteção de HPV e herpes?
VERDADE. A camisinha feminina oferece proteção adicional ao recobrir a região dos lábios vaginais, ajudando a prevenir a infecção pelo vírus HPV e herpes.  Além disso, o sexo oral pode ser feito sobre a camisinha feminina.

:: O custo do preservativo feminino é alto e não é distribuído nos posto de saúde?
MITO. O preservativo feminino está disponível em postos de saúde em vários municípios brasileiros.

:: Leia mais no Guia da Saúde Feminina

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna