Um olhar sobre os personagens do novo filme de Woody Allen

A colunista Celia Ribeiro fala sobre nomes e marcas do novo filme do diretor

"Para Roma com Amor" fala sobre as celebridade instantêneas, que surgem do dia para a noite
"Para Roma com Amor" fala sobre as celebridade instantêneas, que surgem do dia para a noite Foto: Paris Filmes

Adorei o novo filme de Woody Allen, em que ele retorna como ator, usando Roma como cenário para histórias que mexem com sentimentos. Fiz algumas anotações sobre o comportamento dos personagens.

– O casal maduro de Para Roma com Amor, formado por um diretor de óperas de vanguarda e uma psicanalista (Woody Allen e Judy Davis), lembra aqueles pares em que o homem a toda hora recorre à mulher, para que ela racionalize situações em que ele está envolvido – modelo de relacionamento também observado na versão feminina.

– “Ela sabe uma frase de cada poeta e finge que já leu todos.” Essa é a avaliação do arquiteto experiente (Alec Baldwin) sobre a jovem aspirante a atriz (Ellen Page), que cita nomes famosos da literatura, acrescentando frases decoradas de livros que nunca leu.

– Não vale a pena sofrer indefinidamente por amores e vaidades feridas. Por pior que seja a situação, sempre vale recorrer ao humor, que é o reverso da história que termina mal. Só que ninguém, socialmente, tem obrigação de estar sempre fazendo graça. É a oportunidade, a hora certa, que faz um mote ser espirituoso e provocar o riso.

Entre Roma e Paris

Enquanto no filme Uma noite em Paris Woody Allen conta a história de um turista que deseja reviver episódios na vida de grandes ícones da cultura dos primeiros anos da década de 1920 em Paris, em Para Roma, com amor ele aproveita o cenário da cidade eterna para destacar o arrebatado temperamento italiano.

Lá está a crítica ferina de Allen ao tema tão atual das celebridades que surgem de uma hora para outra sem ter nem porque e o encantamento de um produtor de óperas de vanguarda (Woody Allen) por um cantor de banheiro.

Num recital diante de críticos, o cidadão comum dotado como grande número de italianos de uma voz potente para o canto lírico, não faz sucesso. Seu êxito está justamente como cantor de banheiro. Por isso, o produtor leva para o palco um box  com chuveiro para o cantor medíocre dar seus agudos, ao correr da água pelo corpo. Muda o critério de avaliação e o inusitado desperta risos e aplausos.    

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna