Um papo com Papai Noel pode funcionar como incentivo para as crianças

Negociar mudanças de comportamento com o Bom Velhinho é uma das opções

Pais devem estar atentos ao fato de que Papai Noel não é solução para os problemas
Pais devem estar atentos ao fato de que Papai Noel não é solução para os problemas Foto: Stock Photos

A poucos dias do Natal, uma conversa com Papai Noel acaba com qualquer mau comportamento. Rebeldias de um ano inteiro se transformam em promessas para o velhinho, olhos brilham e sorrisos despontam no rosto. Até para as crianças, é época de rever atitudes e repensar o futuro.

? O momento é de reflexão e atinge as relações familiares entre pais e filhos. Pela representação simbólica do Natal, os pais podem encontrar uma possibilidade de discutir perdas e frustrações das crianças ? explica a psicoterapeuta Nádia Maria Marques, professora da faculdade de Psicologia da PUCRS.

Aos cinco anos, Izadora Gonçalves Muniz aproveitou o Papai Noel do shopping para lhe contar segredos. Fez promessas e firmou acordo com o personagem para receber na noite de Natal um DVD da Barbie. Só não quis contar aos pais a promessa feita.

? É um assunto nosso. Eu ganharei o presente ? disse a menina orgulhosa com o bate-papo com Noel.

Incentivar a conversa entre o velhinho e a criança é saudável para o crescimento e o processo de aprendizagem durante a infância.

O personagem funciona como extensão dos pais, uma pessoa de referência para desabafos. Só não pode ser o responsável por resolver problemas os quais a família não consegue se desfazer, como a dificuldade de dar de limites aos filhos, diz Nádia.

? Papai Noel é um ouvidor e, nesta época, ganha mais pedidos do que Deus ? brinca Martinho Krebs, Papai Noel há nove anos. ? Muitos pais devem saber que respeito e autoridade devem vir de casa, não são responsabilidade de outras pessoas ou instituições.

A ideia de que “todo mundo é filho de Papai Noel”, muitas vezes, acaba delegando a responsabilidade da educação dos filhos para o velhinho. Saber explorar a figura do personagem, de maneira positiva, é um desafio para pais. Para a psicóloga Tânia Fortuna, professora de Psicologia da Educação, o personagem é uma figura de autoridade, mas não pode receber a responsabilidade de fazer a criança abandonar a chupeta, se comportar ou estudar mais.

? A ideia do Natal é dar, mesmo sem receber, mas os adultos exploram a figura do Noel. É preciso conversar com a criança, explicar quando há problemas em seu comportamento. Além disso, é importante a criança se envolver com os desejos, desenhar, escrever cartinhas, mas precisa estar pronta para as frustrações, saber que não ganhará tudo no Natal ? explica Tânia.

Papai Noel não é solução para os problemas

Papai Noel ganha uma grande responsabilidade no final de ano. A imagem do sereno velhinho é vista pelos pais como se ele tivesse o poder de resolver questões que deveriam fazer parte da preocupação da família. Nessa relação, ele pode se transformar até mesmo em alvo de chantagens. É aí que surgem os problemas.

? Usar o Papai Noel para fazer chantagens não traz benefícios para a relação entre pais e filhos, pode atrapalhar na relação de afeto e de confiança. Os pais precisam de mais paciência, tolerância e encontrar tempo para a criança ? afirma a psicóloga Tânia Fortuna.

Abaixo, conheça as frases mais populares entre as crianças que conversaram com Martinho Krebs, Papai Noel do Iguatemi, e analisadas por Tânia e pela psicoterapeuta Nádia Marques.

“Não vou mais chupar bico”
O que pode significar: Provavelmente, a criança está dizendo que está pronta para deixar de ser bebê, para ter mais autonomia e socializar longe da família. Entretanto, a decisão não pode vir dos pais, que precisam ter sensibilidade e habilidade para conversar com a criança e reconhecer que ela está preparada emocionalmente. Além disso, o desenvolvimento emocional ocorre em um processo de progressão e regressão, o que significa que ela pode ter recaídas – os pais precisam ajudá-la a superar a ansiedade, amparando o filho.

“Se ganhar o presente, estudarei bastante ano que vem”
O que pode significar: Provavelmente, a criança não obteve resultados esperados na escola, e o que há motiva é ter boas notas para agradar aos pais. Muitas vezes, pode estar expressando uma promessa que é desejo do pai e da mãe e, quem sabe, do Papai Noel.

“Prometo que vou obedecer a mamãe”
O que pode significar: Muitas vezes, as crianças pequenas agem com medo de perder o amor e o cuidado dos pais. A troca de um presente por um bom comportamento pode estar relacionada a esse receio. A afirmação pode também estar ligada ao fato de os pais não conseguirem dar os limites necessários para a educação do filho. Dar limites é cuidar do filho, ajudar a organizar a vida dele.

“Não pedirei para dormir na cama da mãe”
O que pode significar: A frase está intimamente ligada à questão dos limites. É natural que a criança tenha curiosidade em relação à vida intima dos pais, mas eles precisam colocar um limite para preservar o espaço e resguadar a vida da criança. Além disso, quando as visitas à cama não são bem dosadas, podem interferir no relacionamento do casal.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna