Vida sexual das mulheres é a que mais melhora após a cirurgia bariátrica

Homens não tiveram o mesmo desempenho na pesquisa

Exercícios aquáticos oferecem benefícios idênticos aos feitos em solo. Jogadores do Avaí são adeptos da hidroginástica
Exercícios aquáticos oferecem benefícios idênticos aos feitos em solo. Jogadores do Avaí são adeptos da hidroginástica Foto: Hermínio Nunes

Um estudo realizado pela Universidade de Austin, na Austrália, avaliou os efeitos da banda gástrica nas funções urinária e sexual dos pacientes. Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, Ricardo Cohen, os pesquisadores revelaram que as mulheres são as mais beneficiadas pelo procedimento, que é indicado no tratamento da obesidade mórbida.

? O resultado do estudo é positivo, pois, comprova que o procedimento, além de auxiliar no emagrecimento e diminuir a mortalidade cardiovascular, apresenta um benefício adicional para os pacientes operados, principalmente as mulheres ? explica .

Participaram do estudo 176 pacientes, sendo 142 mulheres e 36 homens. Antes da cirurgia, 65% das mulheres e 24% dos homens apresentavam algum problema de incontinência urinária, enquanto 83% dos homens tinham algum grau de disfunção erétil, problemas comuns em pacientes obesos.

Após a cirurgia, as mulheres relataram melhoras significativas na função urinária e de qualidade de vida. Os homens submetidos ao mesmo procedimento, porém, não desfrutaram dos mesmos benefícios. Os pacientes entrevistados que já sofriam algum grau de disfunção erétil, relataram uma piora do quadro.

? Os pesquisadores estavam ansiosos por esse estudo, pois são problemas recorrentes em pacientes obesos. Com relação ao declínio da função erétil, o estudo analisou os resultados de curto prazo. A cirurgia causa uma grande alteração hormonal, então é provável que este quadro melhore ao longo do tempo ? diz Cohen.

A incontinência urinária é comum em pacientes obesos, em especial entre as mulheres, pois com o alto índice de massa corporal, há um aumento da pressão intra-abdominal, que comprime a bexiga.

As mulheres que participaram do estudo tinham, em média, 118 quilos antes da cirurgia e os homens 146 quilos. A perda de peso foi similar para ambos os sexos, com média de 23 quilos para as mulheres e um pouco menos de 23 quilos para os homens.

A diminuição do tamanho do estômago para perda de peso é recomendada quando o índice de massa corporal (IMC) é maior que 40kg/m² em pessoas com idade superior a 18 anos, seja homem ou mulher. O procedimento pode ser recomendado, ainda, se o IMC estiver entre 35kg/m² e 40kg/m² e o paciente em questão tiver diabetes, hipertensão arterial, apneia do sono, hérnia de disco ou outras doenças associadas à obesidade.

? Nos casos que o IMC do paciente fica entre 30 e 35 é preciso uma avaliação prévia e individualizada para ver se realmente a cirurgia bariátrica é recomendável. A cirurgia bariátrica é a última opção para o paciente que já tentou, sem sucesso, reduzir peso por métodos tradicionais ? conclui o médico.

Leia mais
Comente

Hot no Donna