Xô, estresse: que tal uma massagem à beira-mar?

Professor de educação física e fisioterapeuta italiano atende em uma tenda no Riozinho, na praia do Campeche, em Floripa
Professor de educação física e fisioterapeuta italiano atende em uma tenda no Riozinho, na praia do Campeche, em Floripa Foto: Susi Padilha

Férias, praia e sol: combinação ideal para acabar com o estresse. Para relaxar ainda mais, nada melhor que unir esse cenário com uma sessão de massagem. Em Florianópolis, na praia do Campeche, essa opção é uma realidade.

Há um ano e meio morando na capital catarinense, o professor de educação física e fisioterapeuta italiano Marco Venturello trabalha em uma tenda no Riozinho, fazendo massagem. Venturello fica cinco horas por dia, todos os finais de semana e nos dias de sol durante a semana. Ele garante: quem experimenta a primeira vez, volta para mais.

– A massagem é indicada para todo mundo, não só para quem está estressado e quer relaxar. Ela funciona também como prevenção tanto de problemas físicos quanto de emocionais – explica o fisioterapeuta.

O italiano conta que os frequentadores da tenda são homens e mulheres que têm entre 25 e 60 anos. O momento para a massagem varia. Enquanto alguns a preferem bem cedinho, antes mesmo de ir à praia, outros deixam para quando estão indo embora.

O curioso, conta Venturello, é que quando uma pessoa resolve fazer massagem, outras param para observar o processo e então sentem vontade de experimentar, formando-se filas. Por outro lado, quando o movimento está fraco e ninguém vê outras pessoas deitadas na tenda, raramente alguém para.

Um dos frequentadores assíduos é o organizador de eventos Marcos Santos, que se submete a massagens todos os dias.

– É ótimo para relaxar e quando sinto alguma dor por ter praticado esportes, aproveito também os conhecimentos de fisioterapia do Venturello para ver se tem alguma coisa fora do lugar – diz.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna