Ando impressionada de ver como as grávidas não incham como inchavam antigamente. Acho que toda essa minha impressão é porque, se tem alguma coisa que me mata de medo quando penso em gravidez, essa coisa é o inchaço. Sim, eu já sou uma pessoa que incha do vento. Imagina grávida? PLOW! Mariana explodiu e foi para o espaço.

Tenho alguns recursos para aliviar meus inchaços: drenagem linfática, em primeiríssimo lugar, e uma massagem no banho, todos os dias, com um massageador de bolinhas que comprei na Emporio Body Store. A vendedora me contou que as massoterapeutas adoraram o tal massageador.

Olha ele aí!

Ai, agora tenho que me cuidar pra não perder o foco: porque ia falar das grávidas, já mudei para o meu inchaço e para o massageador. E se deixar eu fico o dia inteiro aqui falando por que eu amo a Emporio Body Store.

Sobre grávidas: como eu ia dizendo, ando impressionada de ver como elas não incham mais. Pelo menos as minhas amigas. Agora, surpreendente foi um dos fatores para tal: a água. Sim, a água. Conversando com elas, descobri que eu tenho a capacidade de beber a água com mais sódio que existe (não vou citar nomes pro mal, só pro bem). Eu me afogo todos os dias em litros de uma água cheia de sódio. Socorro!

Contam minhas amigas grávidas que a água para o consumo humano deve estar sempre ligeiramente ácida, com pH entre 6.8 e 6,9. O pH em torno de 3.0 aproxima-se do ácido carbônico. O pH alcalino, acima de 7.0, neutraliza a ação do acido clorídrico que o organismo produz naturalmente e que é essencial na digestão. Além disso, pode reagir com acidos graxos do organismo, causando mal à saúde.

- Tá, tá, tá. Mas eu quero saber, afinal, qual é a água que eu devo beber então? – perguntei.

- Minalba e Floresta – eis a resposta.

Vou testar.