5 motivos para não cortar totalmente o carboidrato

Criada nos anos 70, a dieta low-carb conquistou milhares de seguidores no Brasil e no mundo recentemente. Assim como a Dukan, é focada no consumo de proteínas, restringindo em grande medida o consumo de carboidratos.

:: Low carb/high fat: rica em gordura, pobre em carboidratos, veja como funciona a dieta do momento
:: Giovanna Antonelli conta que abandonou as dietas: “Na minha vida, não existe mais”

A low-carb foi posta à prova pela equipe especializada da revista Endocrinology and Metabolism Clinics of North America, que avaliou a eficácia de várias dietas popularesA conclusão: todos os programas foram eficazes apenas em curto prazo. A responsabilidade pela perda de peso estaria atrelada à quantidade total de calorias ingeridas diariamente, e não à exclusão dos carboidratos da dieta.

Alertando para os perigos de uma dieta restritiva, a nutricionista Mariana Nacarato, lista cinco pontos importantes a serem considerados antes de aderir ao programa low-carb:

1 O carboidrato é a principal fonte de energia para o cérebro

A ausência do carboidrato no organismo diminui a glicose necessária ao cérebro, o que pode causar mal-estar, dor de cabeça e dificuldade de concentração. Quem adere a esse cardápio também pode ficar mal-humorado, uma vez que o nutriente é essencial na produção de serotonina, o neurotransmissor que estimula o bom humor.

2 Queda no desempenho de atividades físicas

Para os praticantes de esportes, a falta de carboidrato pode refletir em fadiga, mal-estar e tontura, o que prejudica o desempenho, principalmente nas atividades aeróbicas como corrida, caminhada e natação.

Crédito: Pixabay

Crédito: Pixabay

3 Não funcionam para resultado a longo prazo

Quem já experimentou alguma dieta para emagrecer percebeu a dificuldade de manter o peso conquistado. De três a seis meses muitos cardápios oferecem resultados expressivos, mas depois desse período a perda de peso pode ficar estagnada. Para manter o peso conquistado, é preciso criar hábitos saudáveis e, muitas vezes, repensar o estilo de vida.

Dificuldade de adaptação

Dietas muito restritivas demandam a retirada de alimentos tradicionais dos hábitos dos brasileiros, como pães, massas, cereais e leguminosas. A retirada de itens tão costumeiros pode gerar frustração, dificultando ainda mais a manutenção do programa.

5 Mau funcionamento do intestino

As fibras, essenciais ao bom funcionamento do intestino, estão em diversas fontes de carboidratos. A restrição da dieta low-carb compromete a quantidade de fibras ingerida diariamente. Intestino desregulado aumenta as chances de retenção de líquidos, inchaço, mau humor e dificuldade de perder peso.

:: Dieta da definição: conheça o método que promete emagrecer e melhorar os efeitos da malhação
:: Musa fitness do Instagram, Bella Falconi conta como chegou na dieta do equilíbrio

Emagrecer não é sinônimo de restrições: com o consumo adequado de calorias diárias e incluindo os carboidratos, é possível alcançar a perda de peso com equilíbrio. Sempre que possível, opte por pães, massas e cereais integrais. Praticar atividades físicas e buscar acompanhamento continuam sendo as estratégias mais seguras para garantir resultados duradouros.

Leia mais
Comente

Hot no Donna