Café, café, café… Saiba quais profissões não resistem ao cheirinho

Digitar algumas linhas no computador, pegar a xícara repleta de café quentinho, bebericar uns bons goles e logo devolvê-la à mesa. Se essa cena se repete muitas vezes durante seu dia, fique atento. Uma pesquisa feita pela Pressat, no Reino Unido, analisou a rotina de trabalho de 10 mil pessoas e ranqueou as profissões mais “viciadas” no precioso líquido preto.

De todos os entrevistados, 85% bebe entre 3 e 4 copos por expediente e 70% admite que o rendimento cai muito quando o consumo é mais baixo. Tamanha quantidade diária vem preocupando especialistas, que se dividem nos grupos contra e a favor do café. Se você se identificou com o alto grau de consumo, fique atento: a ingestão de café pode elevar a pressão cardíaca, ao mesmo tempo que, em doses regulares, o líquido contribui para a retirada de oxidantes do corpo.

:: Escolhemos as melhores cafeterias de Porto Alegre, São Paulo e Floripa
:: Blog dedica fotos e receitas aos apaixonados pelo café da manhã

O ranking

Em décimo lugar, bebendo cerca de dois copos de café por dia, estão os motoristas de táxis e ônibus. Na nona, oitava e sétima colocação, estão os vendedores de lojas, o pessoal técnico em informática e os atendentes de telemarketing. Esse grupo bebe, em média, de três a quatro copos de café em 24 horas.

A sexta posição é celebrada pelos sérios e bem vestidos executivos de empresa, que, além da pasta de couro, sempre carregam um copinho de café bem quente ou param no bar da empresa para conversar e tomar uma xícara. Nas posições de número 4 e 5, os grupos de médicos e enfermeiras abanam junto com os trabalhadores de construção civil e encanadores. Vale a dica para a próxima vez que precisar chama um para arrumar o cano da pia: que tal um café?

Os recordistas são, em ordem de consumo crescente: professores (afinal, como corrigir provas, elaborar trabalhos e ainda dar aulas diárias sem uma xícara de café bem cheiroso?), policiais (não seria possível suportar plantões e estresse extremo sem o bendito!) e jornalistas, que escolheram uma profissão que ganha um pouco de cada: plantões, estresses, entrevistas, noites viradas digitando em frente à tela do computador…

Leia mais
Comente

Hot no Donna