CHAT: médico fala sobre nova técnica para aumentar os seios, quarta-feira, às 14h

Procedimento retira gordurinha de locais indesejados e enxerta nas mamas

O dialógo é a melhor solução para proteger os filhos na internet
O dialógo é a melhor solução para proteger os filhos na internet Foto: Ver Descrição

Academia, contagem de calorias, drenagem linfática. A luta contra a gordura é uma constante na vida de muitas mulheres. Mas, em tempos modernos, a eterna vilã da beleza pode se tornar uma grande aliada. Um nova técnica usada há poucos meses por um médico em Santa Catarina promete unir o útil ao agradável: retirar aquela gordurinha de locais indesejados e usá-la para aumentar e até reconstruir os seios.

O médico Evandro Parente tira dúvidas dos internautas nesta quarta-feira, às 14h.

Participe do CHAT:

Possibilidade para as mulheres

A modalidade já não era novidade em outras partes do corpo, como rosto ou nádegas. É o uso nas mamas que abre uma nova possibilidade para as mulheres, pois o método não exige que sejam feitos pontos.

? O seio é um dos ambientes mais hostis para fazer o enxerto de gordura, por conta dos tecidos e outros fatores. Por isso, até pouco tempo não se usava esta técnica nos seios ? explica o cirurgião plástico Evandro Parente.

O pulo do gato do procedimento é na hora de retirar a gordura. Pesquisas recentes mostraram que a pressão dentro da cânula na hora da retirada do material deve ser controlada, pois se ela for alta demais, as células podem ser destruídas e não servem mais para serem enxertadas.

A gordura pode também ser usada em conjunto com o silicone. Neste caso, ela é injetada entre a prótese e a pele, escondendo degraus que podem aparecer se a paciente for muito magra.

Clique na imagem e saiba como é a técnica:

 

Procedimento com enxerto de gordura

Luciane Egger Leuzzi, 40 anos, é uma das pacientes que se submeteu ao procedimento com enxerto de gordura. Em 2000, o câncer, que apareceu em uma das mamas pela segunda vez, obrigou a empresária a fazer uma mastectomia. Na mesma cirurgia ela recebeu uma prótese de silicone e teve o seio reconstruído com pele e músculo retirado das costas.

Mais de 10 anos mais tarde, o aspecto que ela considerava pouco natural deixou de incomodar. Há um mês, Luciane trocou a prótese, que foi coberta por gordura retirada do próprio corpo:

? Ficou muito bom. Sentia que meu seio era endurecido, não tinha um aspecto natural.

Um dos grandes problemas enfrentados pelas pacientes é que, depois de três ou quatro meses, o corpo pode absorver a gordura enxertada, minimizando os efeitos do procedimento. Não há como o cirurgião garantir que isso não vai acontecer, pois varia dependendo do corpo.

Uso das células-tronco

O avanço nas pesquisas está prestes a resolver ou minimizar este problema. O segredo é o uso de células-tronco, que têm potencial para melhorar as condições locais, como a circulação de sangue, reduzindo o risco de absorção da gordura pelo corpo.

? Este método ainda não foi usado no mundo, mas já temos um laboratório interessado em adotar a técnica no Brasil. Digamos que sejam necessários 200ml de gordura. O médico, então, retira 500ml, por exemplo, e manda tudo para o laboratório. Lá, as células-tronco são retiradas e concentradas na porção que será usada ? esclarece Parente.

Leia mais
Comente

Hot no Donna