Confirmado! Dormir sem calcinha faz bem para a saúde

Elásticos que apertam, tecido que incomoda, formato que não se ajusta direito ao corpo e a renda que dá alergia. As calcinhas são, muitas vezes, uma bela dor de cabeça para as mulheres.  Agora, para a surpresa de muitas, elas podem — e devem — ser deixadas de lado para a hora do sono.

:: Injeção anticoncepcional para homens deve chegar ao mercado até 2017
:: Pesquisa indica que homens com barriga saliente são melhores de cama que os sarados

Se você ficou surpresa com o parágrafo anterior: fique atenta. A dica é do Dr. Fabio Muniz, do Hospital e Maternidade São Cristóvão. O ginecologista aponta que, entre muitos outros fatores, como obesidade, gravidez, uso constante de biquínis molhados e absorventes diários, dormir de calcinha pode impedir que a região vaginal transpire.

A umidade constante do local é a oferta perfeita para a proliferação do fungo Cândida SP, responsável pela candidíase vulvovaginal, doença que, segundo pesquisas, afeta uma a cada quatro mulheres. O sintoma mais comum da infecção é coceira vaginal, além de dor ao urinar ou durante o ato sexual e de corrimento.

a-primeira-noite-termina-com-um-pocket-show-da-marca-de-lingerie-petit-pois

Para evitar que o fungo se prolifere, algumas medidas devem ser tomadas: prefira roupas íntimas de algodão, evite usar absorventes íntimos diariamente, pois eles prejudicam a ventilação local, e durma sem a calcinha, para que a região íntima fique ventilada e menos propensa à contaminação. O especialista ressalta ainda que “ao sentir qualquer desconforto a mulher deve consultar seu ginecologista”.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna