Conheça alguns alimentos que podem evitar (ou provocar) uma crise de dor de cabeça

Se você é mulher e ainda não experimentou uma crise infernal de dor de cabeça, agradeça aos céus. Você não faz parte dos mais de 20% da população feminina brasileira que sofre com crises constantes de enxaqueca. E, se falarmos de dores de cabeça mais brandas, bem, aí é praticamente impossível encontrar alguém que não conheça essa sensação. Quem convive com o problema sabe que, de vez em quando, nem os remédios mais potentes são capazes de amainar a dor. Por isso, é sempre bom prestar atenção em dicas simples, que não resolvem, mas podem nos ajudar a reduzir as crises ou, pelo menos, abrandá-las.

– Existem algumas substâncias em certos alimentos que podem desencadear ou agravar diferentes tipos de dor de cabeça em pessoas suscetíveis ao problema. E essa interferência alimentar nas cefaleias só acontece de acordo com a correlação entre quantidade, tempo e digestão – explica o médico Deusvenir de Souza Carvalho, neurologista e membro da Sociedade Brasileira de Cefaleia.

::Passar muito tempo sentada ou de pé pode prejudicar a saúde das suas pernas

Nos casos de enxaqueca, o médico afirma que o paciente pode ter uma crise por um alimento e não por outro. E também não é preciso sair cortando tudo de forma radical. Cada pessoa reage de uma forma às substâncias e é perfeitamente possível que um alimento nocivo para uma mulher seja completamente inofensivo para outra.

– Não dá para generalizar. Cada pessoa tem uma reação. Por exemplo, uma pode sentir dor de cabeça quando ingere chocolate, e a outra, quando ingere queijo. É uma questão personalizada.

Para entender quais são as substâncias que favorecem os diferentes tipos de dor de cabeça, o neurologista destacou as principais e em quais alimentos encontrá-las. E também fez uma lista de onde podemos encontrar bálsamos que nos ajudam a evitar ou controlar as crises.

dor de cabeça

Inimigas da cabeça

Aminas – substância presente em queijos, chocolate, cerveja e vinhos: a amina altera a calibração e dilatação dos vasos sanguíneos, contribuindo para a dor de cabeça.

Cafeína – presente em café, chás pretos e refrigerantes: eleva a pressão arterial através da contração dos vasos sanguíneos. Essa situação pode causar cefaleia em pessoas que têm o organismo mais sensível.

Histamina e tiramina – presentes em bebidas alcoólicas, como cervejas e vinhos: podem desencadear ou piorar o quadro da dor de cabeça. Por isso, muitas pessoas que ingerem em excesso apresentam cefaleia no dia seguinte.

Lipídeos – existem em alimentos como manteiga, carnes gordas, queijos, frituras, doces, requeijão e leite integral: estes alimentos possuem proteínas alergênicas que, por sua vez, podem causar dores de cabeça.

Nitratos e nitritos – presentes em embutidos como salame, salsicha e presunto e em peixes e camarões: como a amina, essas substâncias alteram a calibração e dilatação dos vasos sanguíneos, contribuindo para a cefaleia.

dor de cabeça1

E agora, as amigas

Magnésio – presente em vegetais folhosos, nozes, arroz integral, pão integral e aveia: são capazes de reduzir o espasmo dos vasos arteriais e relaxar a musculatura tensionada. Normalmente, quem tem enxaqueca apresenta falta de magnésio.

Triptofano – está em verduras, feijão, ovos, carnes, aves e pescados: este aminoácido é um neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar, além de reduzir a ansiedade, o que contribui para o indivíduo não sentir dores de cabeça.

Õmega 3 – presente em linhaça, peixes e ovos: é uma gordura boa e tem ação anti-inflamatória, por isso favorece o arrefecimento das crises.

Antioxidantes – encontrados em alimentos como cenoura, gengibre, maçã e kiwi: contribuem para bloquear as prostaglandinas, substâncias responsáveis pelos processos de inflamação.

Feverfew e Gengibre – são chás: o feverfew é um chá de camomila americano que ajuda muito no tratamento do combate à enxaqueca, principalmente em dias de crise. O mesmo acontece com a infusão de gengibre.

Leia mais
Comente

Hot no Donna