Cuidado ao beijar na boca no Carnaval

O beijo pode ser um transmissor de doenças como a hepatite B, meningite, mononucleose e tuberculose

Beijar várias pessoas no mesmo dia aumenta em até quatro vezes o risco de contrair meningite
Beijar várias pessoas no mesmo dia aumenta em até quatro vezes o risco de contrair meningite Foto: Renato Bairros

Que beijar na boca é bom todo mundo sabe. Além de ser uma manifestação de carinho, o beijo emagrece, ativa o sistema imunológico e previne cáries e mau hálito. Mas o ato esconde um perigo: a transmissão de doenças como hepatite B, meningite, mononucleose, tuberculose e gripe.

Conforme o cirurgião-dentista Arany Tunes, o beijo ativa o sistema imunológico e induz à produção de anticorpos, melhorando a imunidade, estimula a produção de saliva, que reduz o ocorrência de cáries e mau hálito, e ainda emagrece: um beijo romântico queima cerca de 3 calorias, enquanto beijar intensamente durante um minuto pode queimar mais de 15 calorias.

Apesar dos prazeres do beijo, sair beijando enlouquecidamente por aí, como muitos têm o hábito no Carnaval, pode colocar sua saúde em risco. Doenças sérias como a hepatite B (que pode evoluir para o câncer de fígado), herpes, candidíase, mononucleose, tuberculose e a gripe podem ser transmitidas enquanto você beija.

“Segundo um estudo do British Medical Journal, beijar várias pessoas no mesmo dia aumenta em até quatro vezes o risco de contrair meningite”, alerta

Arany Tunes. O especialista explica que isso pode ocorrer porque em uma única gota de saliva pode existir cerca de 2 bilhões de bactérias.

Beijar movimenta 29 músculos faciais, sendo que 17 são da língua. É tão prazeroso porque o tato nos lábios é 200 vezes mais intenso que nos dedos.

Beije, mas com segurança

– Mantenha em dia a saúde da boca: sangramentos da gengiva, boca seca, gosto amargo pode ser o alerta de doenças. Nesses casos, o melhor a fazer é procurar um bom dentista.

– Mantenha uma boa higiene bucal, utilizando o fio dental e escovando bem os dentes após as refeições. Isso garante que você não passe resíduos alimentares para seu parceiro durante o beijo.

– Cuidado com o mau hálito: pessoas com esse problema ou dificilmente conseguem beijar ou evitam beijar as pessoas – ou então “castigam” o companheiro ou companheira.

– O cigarro é um grande “vilão” do beijo, pois, invariavelmente, quem beija um fumante sente um gosto desagradável. O melhor é mesmo parar de fumar.

– Herpes é uma doença muito comum e pode ser transmitida pelo beijo. Quem teve herpes bucal uma vez terá sempre. Quando você perceber que vai ficar com herpes não beije ninguém até desaparecerem os sintomas.

– Enxaguantes bucais e sprays podem ajudar antes de um “encontro”. Mas evite os produtos com álcool. E caso você tenha algum problema (como o mau hálito, por exemplo) é melhor procurar um especialista do que ficar disfarçando o problema.

– Evite muitas balas e chicletes: eles podem provocar cáries e outros problemas bucais. Uma boca saudável não precisa disso. Basta cuidar da saúde bucal.

– Se você usa aparelho ortodôntico fixo, cuidado ao beijar: o aparelho tem arestas que podem ferir a gengiva do seu parceiro ou enroscar no aparelho dele (caso ele também use).

Leia mais
Comente

Hot no Donna