Cuidado com os insetos: corpo fica mais vulnerável no verão

Repelentes e roupas adequadas são essenciais para prevenir alergias

Reação de cada pessoa a uma picada de inseto depende da sensibilidade ou do estado imunológico de cada um
Reação de cada pessoa a uma picada de inseto depende da sensibilidade ou do estado imunológico de cada um Foto: Ricardo Zanetta

Com o corpo mais exposto do que nas outras épocas do ano, não é só o sol que se transforma em um inimigo da saúde. Assim como as pessoas mudam de hábitos nas estações mais quentes, os insetos também. E é no verão que eles fazem mais vítimas.

Segundo o especialista titulado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, José Riccardi Guimarães, as consequências do contato com insetos podem ser desde alergias como vermelhidão, coceira e ardor, até doenças graves, como a dengue e a doença de Chagas.

Sensibilidade

Riccardi explica que a reação de cada pessoa a uma picada de inseto depende também da sensibilidade ou do estado imunológico de cada um:

? Alguns têm reações anafilactóides, apresentando dificuldade respiratória, edema de glote, que bloqueia a respiração, queda de pressão e até podem correr risco de morte. Isso é frequente e pode ocorrer ante qualquer picada de inseto ? alerta o médico.

Segundo ele, pessoas com histórico de rinite, asma, bronquite e dermatite atópica são mais suscetíveis a ter uma reação forte, portanto devem ter cuidados redobrados.

Não são só os mosquitos que podem trazer problemas no verão. Abelhas, vespas, formigas, escorpiões, mutucas e aranhas são exemplos de animais que causam acidentes nessa época de calor.

Como proteger o corpo

O dermatologista sugere o uso de repelentes e mosquiteiros como principais formas de evitar as picadas. Porém, ele alerta que os repelentes não são 100% eficazes. Além disso, é preciso consultar um médico antes de optar por um tipo de produto.

Em locais próximos de mata fechada, o dermatologista recomenda a proteção do corpo com botas, roupas longas e chapéus. Na praia, em lagoas, ou lugares onde haja animais, como chiqueiros, o uso de calçados é essencial. Os famosos bicho geográfico (larva migrans) e bicho de pé (tunga penetruns, um tipo de pulga), costumam fazer muitas vítimas desprevenidas nesses locais.

Sintomas:

:: Coceira (prurido);

:: vermelhidão;

:: ardência;

:: dificuldades respiratórias;

:: bolhas;

:: úlceras;

:: dor no local;

:: queimação;

:: aumento de sensibilidade;

:: manchas;

:: equimose (infiltração de sangue na pele).

Onde tomar cuidado:

:: Árvores e proximidades: Taturanas e bichos cabeludos costumam estar camuflados entre galhos e folhas.

:: Mata fechada ou locais próximos: Aranhas, carrapatos, barbeiros e piolhos podem causar alergias e transmitir doenças graves.

:: Praia: O bicho geográfico, transmitido pelas fezes dos cães na areia são comuns no verão.

:: Acampamentos ou áreas rurais: Além dos animais típicos de lugares onde há mato, as formigas, as mutucas e os mosquitos aparecem com frequência. Algumas espécies de formiga que inoculam ácido fênico, por exemplo, podem causar sérios transtornos ao indivíduo.

P>

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna