Desemprego causa morte precoce em homens

Estudo foi feito com milhões de pessoas em todo o mundo

Estresse causado pela demissão pode ser faltal
Estresse causado pela demissão pode ser faltal Foto: Claudio Vaz

Uma pesquisa realizada pela McGill University, do Canadá, revelou que o desemprego é a causa mais frequente de morte precoce de pessoas do sexo masculino. Segundo o estudo conduzido pelo prof. Israelense Eran Shor, o fato de estar empregado ? bem como a qualidade da ocupação ? pode significar vida mais longa. Ele analisou dados históricos de 20 milhões de pessoas em 15 países nos últimos 40 anos, no mais amplo estudo desse tipo já realizado.

Os pesquisadores demonstraram uma forte relação entre o desemprego e morte precoce ? principalmente em homens. A taxa de mortalidade prematura de homens desempregados foi de 78%, e das mulheres desempregadas de 37%.

O maior grupo de risco são homens abaixo dos 50 anos. Os pesquisadores também encontraram relação entre longevidade e o fato de as pessoas poderem exercer plenamente suas qualificações no cargo que ocupam.

Shor não encontrou diferenças entre homens de diferentes países. Mesmo em lugares onde os desempregados recebem boa assistência do governo, como é o caso do Canadá e dos países escandinavos, o nível de mortalidade entre os desempregados é o mesmo.

O pesquisador lembra que, ao ficar desempregado, o homem na maioria das vezes fica estressado, recorrendo, muitas vezes, ao abuso no uso de drogas e de álcool.

Leia mais
Comente

Hot no Donna