Desequilíbrio na produção de hormônios pode provocar distúrbios

Queda de cabelo, ganho de peso, fraqueza e irritação são alguns dos sintomas

Milena odeia suar dentro de uma academia
Milena odeia suar dentro de uma academia Foto: Renato Bairros

Eles têm o tamanho de moléculas, mas são capazes de derrubar um adulto. Não, não se trata de bactérias ou vírus, mas de estruturas muito menores que regulam o funcionamento do corpo. Os hormônios são a gasolina do organismo, responsáveis por coisas tão diversas como a vontade de sair da cama de manhã e a produção do leite materno.

O menor desequilíbrio na produção dessas substâncias provoca sintomas desconfortáveis, como queda de cabelo, ganho de peso, fraqueza e irritação. E o pior, o sistema endócrino, como é chamado, é todo interligado ? qualquer problema em uma das partes pode afetar o funcionamento das outras.

Tudo começa no cérebro. É de lá que surgem as primeiras instruções para a liberação dos hormônios. O hipotálamo é uma espécie de gerente da rede, comunica-se com o sistema nervoso e avisa para os produtores de hormônios qual é a quantidade necessária para garantir o funcionamento da “fábrica”.

?O hipotálamo é o centro regulador que cuida do equilíbrio do corpo. Ele capta informações dos órgãos e do ambiente externo para orientar toda a atividade metabólica da pessoa ?explica o endocrinologista Neuton Dornelas Gomes, presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia no Distrito Federal.

É graças ao trabalho do hipotálamo que as pessoas ficam com frio na barriga ao andar de montanha-russa, por exemplo. O sistema nervoso processa o estímulo externo, comunica-se com o hipotálamo, que, por sua vez, incentiva a produção de um hormônio relacionado a essa sensação de prazer e euforia, a adrenalina. Processo semelhante ocorre quando o indivíduo come. Para quebrar a glicose dos alimentos, o pâncreas libera a insulina, um hormônio tão essencial que a falha na sua produção provoca o diabetes.

Grosso modo, problemas hormonais podem ocorrer por dois motivos: alteração na forma ou na função das glândulas endócrinas. Na hipófise, por exemplo, surge o hormônio do crescimento. Se, por algum motivo, a glândula não fizer o dever de casa, o adolescente cresce menos do que o normal. Outra possibilidade é a hipófise liberar muito hormônio do crescimento, o que provoca o gigantismo.

? Em alguns casos, a disfunção nessa glândula é provocada pelo aparecimento de nódulos ou tumores. A pessoa, então, pode desenvolver a acromegalia, que é o crescimento exagerado das extremidades do corpo ? detalha o médico Neuton Dornelas.

As disfunções também podem aparecer em outras glândulas. Nas gônadas ? ovários nas mulheres e testículos nos homens ? surgem os problemas de infertilidade, caso a produção de hormônios não esteja equilibrada conforme o sexo da pessoa. Nas suprarrenais, há a liberação do cortisol (que regula a resposta ao estresse, por exemplo) e de substâncias que controlam o nível de sais e potássio. Para se ter uma ideia de como o sistema é delicado, uma pessoa pode desenvolver hipertensão por conta de um problema hormonal.

Problema feminino

Há uma glândula, porém, que costuma ser a principal “culpada” das visitas aos consultórios. A tireoide ? que fica no pescoço e tem formato de borboleta ? participa do metabolismo do corpo inteiro.

? Todos os órgãos precisam dos hormônios liberados pela tireoide. É ela que dá condições ideais de crescimento aos fios de cabelo ? exemplifica Neuton.

O funcionamento da glândula também interfere no ganho de peso, na textura da pele, na pressão arterial, na resistência das unhas, no ciclo menstrual das mulheres e por aí vai. Elas são, inclusive, as mais afetadas pelas disfunções da tireoide.

? Os problemas nessa glândula são de 10 a 12 vezes mais comuns na população feminina. Além disso, como as doenças são autoimunes, o fator genético é muito preponderante ? afirma o médico Mário Sérgio Almeida, chefe do setor de endocrinologia do Hospital de Base.

Saiba mais

:: Como uma colmeia

? Os hormônios existem graças ao sistema endócrino, formado por glândulas espalhadas por todo o corpo e orientadas a partir de uma central de controle no cérebro. Esse sistema é tão complexo que qualquer desequilíbrio pode provocar doenças.

? Hormônios são substâncias químicas responsáveis pelas mais diversas tarefas e sensações do corpo, como o crescimento, a libido, a saciedade ou a absorção da glicose. A gestão de tudo isso depende do hipotálamo, que, além de produzir hormônios, “lê” outras informações disponíveis nas redes neurais.

? É na tireoide que ocorrem os problemas hormonais mais comuns. Seu mau funcionamento traz sintomas como cansaço, aumento ou perda de peso, calor excessivo, prisão de ventre, irritabilidade, inchaço e queda de cabelo.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna