Jejum intermitente: entenda como funciona a prática de ficar horas sem comer

Camila Maccari, especial

Se você já fez dieta e escutou à exaustão que o ideal é comer de três em três horas, pode ficar com um pé atrás ao ouvir falar do jejum intermitente, prática em que a pessoa não se alimenta por períodos de tempo maiores – e que pode ser aliada na perda de peso. A técnica vem ganhando popularidade entre quem quer emagrecer e é a aposta de atrizes como Deborah Secco, que começou a dieta ainda no sexto mês de gestação, quando já tinha ganhado 19 quilos, e seguiu apostando nela para recuperar a forma depois do parto.

– Jejuar é um ato que auxilia a repensar e reeducar os hábitos alimentares. Para muitos, é mais fácil começar o processo de evolução desses hábitos escolhendo quando comer do que comer. Ainda assim, qualquer passo em direção à saúde é bem-vindo – afirma Edio Schaurich, médico e criador do Spa Tour Life, em Montenegro, que prega o jejum curto há mais de 20 anos.

O jejum é programado, isto é, o tempo em que você fica sem comer é pré-estabelecido, com rotinas que podem ser, por exemplo, de 16 horas de jejum intercalados com uma janela alimentar de oito horas. Nesse cenário, você almoçaria ao meio-dia e faria as outras refeições até as 20h – comer de novo, só no almoço do dia seguinte. Há várias formas de fazer jejum, que pode ser praticado todos os dias, ou dia sim, dia não, ou ainda uma vez por semana. Pode durar 12, 16, 24 horas. Parece difícil de aguentar a fome, não é? Mas isso depende da sua dieta. Schaurich explica que, se você já segue uma alimentação com pouco carboidrato e rica em gordura natural, a abstinência é mais fácil. Caso contrário, o começo pode ser mais complicado. Mas, à medida que você avança, o organismo se habitua.

Veja Mais
:: 10 dicas para ter uma alimentação saudável na correria do dia a dia
::Por que comer de 3 em 3 horas pode não ser a melhor opção para você

Vale ficar atenta: essa não é uma medida radical na perda de peso. É preciso comer direito durante a janela alimentar, principalmente se a prática fizer parte da sua rotina. Alguém que se abstenha 20 horas por dia, por exemplo, pode consumir, nas quatro horas restantes, o total de calorias que dividiria em várias refeições. O nutricionista João Gabriel Marques explica que, quando estamos em jejum – o que acontece a partir de três horas sem comer –, nosso corpo gasta mais gordura. Por isso, a prática seria mais efetivo para o emagrecimento do que apenas o controle alimentar.

– O corpo funciona utilizando substratos energéticos que dependem da alimentação. Se comemos carboidratos, o utilizamos como fonte de energia. O mesmo acontece quando ingerimos gordura. Quando fazemos exercícios físicos intensos, o corpo precisa de mais carboidrato. Mas sempre que estamos em estado de baixa necessidade energética, que é a maior parte do tempo, estamos usando uma quantidade considerável de gordura – afirma.

Se você está considerando inserir o jejum na sua rotina como aliado na perda de peso, é importante buscar acompanhamentos para não cometer o erro de fazer cortes drásticos demais.

– Com a reintrodução da alimentação normal, a pessoa não se reeducou em horários e opções, então a tendência é que volte ou ganhe mais peso do que no início da dieta – afirma o endocrinologista Renato Zilli.

PRIMEIROS PASSOS

Comece aos poucos
O nutricionista João Gabriel Marques sugere que, no início, você aposte em uma dieta que vá de 12 a 16 horas por dia – sempre contando a noite de sono nessas horas:
– Dependendo a rotina alimentar que a pessoa tinha antes, o jejum é uma alteração básica bem grande e com um impacto forte, então é bom se permitir um tempo de adaptação.

Beba água
É preciso hidratar o organismo, então fique de olho na quantidade de água e beba, no mínimo, dois litros do líquido. Outras bebidas sem calorias, como café, chás e chimarrão estão liberadas. Os refrigerantes zero entram nessa seleção por não terem calorias, mas Marques lembra que o adoçante pode levar à secreção de insulina, o que poderia prejudicar o estado metabólico do jejum. 

Check up
Os especialistas afirmam que pessoas saudáveis podem fazer o jejum intermitente sem restrições, então é sempre bom saber se você se encaixa mesmo nesse grupo. Zilli recomenda que pessoas com diabetes ou doenças renais evitem longos períodos sem comer.

Organização
A prática faz sentido se aliada a uma alimentação saudável, ainda mais se seu objetivo for o emagrecimento. Por isso, organize-se, siga um plano alimentar que vá de acordo com suas metas. Quebrar o jejum com um fast food pode não valer a pena, né?

Veja Mais
:: Segredos da dieta de Anitta: dicas de alimentação dadas pelo médico da cantora
:: Refeição relax: saiba quais alimentos ajudam a diminuir o estresse
:: Confira receitas com alimentos termogênicos para gastar calorias comendo

 

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna