Excesso de gordura pode ser inimiga da fertilidade masculina, diz estudo

Alta ingestão estaria associada à baixa qualidade do esperma

Pacientes que consumiram mais gorduras saturadas e monoinsaturadas apresentaram uma concentração espermática significativamente menor
Pacientes que consumiram mais gorduras saturadas e monoinsaturadas apresentaram uma concentração espermática significativamente menor Foto: Divulgação

Compartilhar

Foi-se o tempo em que apenas as mulheres tinham preocupação com uma alimentação saudável. Mas, os homens que ainda mantém uma dieta rica em gorduras saturadas, encontradas nas carnes, e monoinsaturadas, presente no azeite, no abacate e no amendoim, devem ficar atentos. A gordura pode ser uma das maiores inimigas da fertilidade.

Um recente estudo do Massachusetts General Hospital, nos Estados Unidos, associa a alta ingestão de gorduras à baixa qualidade do esperma. Por outro lado, o consumo de gordura poli-insaturada, dos peixes ricos em ômega-3, está ligado a melhores medidas de fertilidade, como mobilidade e morfologia do esperma.

De acordo com os pesquisadores, há relações significativas entre a qualidade do sêmen e a ingestão de gorduras. Foram avaliados 91 homens com idades entre 18 e 55 anos. Os pacientes que consumiram mais gorduras saturadas e monoinsaturadas apresentaram uma concentração espermática significativamente menor, além de excesso de peso.

? As pesquisas no campo da reprodução humana estão, cada vez mais, se voltando para o papel da nutrição sobre a qualidade do esperma. Sabemos pouco, ainda, sobre como a dieta pode afetar a fertilidade masculina, mas a literatura médica atual dá suporte à hipótese de que componentes nutricionais específicos podem afetar os parâmetros de qualidade do sêmen ?  afirma o pesquisador Joji Ueno.

Os resultados ainda não levam à conclusão de que os homens inférteis devem alterar a dieta, diminuindo a ingestão de carnes vermelhas e gordura. Enquanto são realizados mais estudo para confirmação das informações, os estudiosos recomendam o consumo com moderação, além de uma rotina de atividades físicas para controle da obesidade e outros problemas associados.

Leia mais
Comente

Hot no Donna