Manter rotina e cuidar da autoestima ajuda paciente com câncer a lidar com doença

Efeitos indesejados do tratamento afeta a forma como a pessoa encara sua imagem

O tratamento contra o câncer pode trazer uma série de efeitos indesejados para a aparência física. Queda de cabelo, a mudança na coloração da pele e, em alguns casos, até a perda de massa muscular pode acabar afetando a forma como a pessoa lida com sua imagem.

? Há uma frustração ligada a isso porque essa mudança afeta a forma como o paciente se reconhece. É preciso trabalhar de forma individualizada para que ele aprenda a ressignificar esse fato ? explica Mariana Lima, psicóloga da Oncomed Belo Horizonte.

Para ela, o modo como a pessoa encara as mudanças que surgem pelo uso de medicação afeta sua aparência e sua autoestima.

? O paciente vai perder o cabelo, mas ele não precisa necessariamente ficar careca. Ele pode recorrer a perucas, chapéus ou lenços. É importante trabalhar para que ele aprenda a conviver com as dificuldades e com as questões emocionais, pois sua vaidade é muito importante. É uma questão de perspectiva se agarrar ao lado bom ou de lamentar o ruim.

Encarar a situação da melhor forma possível foi o que Edgard Monteiro, engenheiro mecânico aposentado, decidiu fazer após passar pela descoberta de três cânceres e ocorrências de trombose entre 2003 e 2010.

Com fisioterapia, ele recuperou parte da força muscular perdida devido aos tratamentos e pode retomar as atividades físicas.Há quatro anos, ele malha em uma academia quatro vezes por semana.

? Ir até lá, estar naquele ambiente cheio de saúde é o melhor tratamento que se pode fazer ? recomenda.

Rotina e interação

Edgard não deixou de trabalhar nenhum dia enquanto passou pelos tratamentos.

? Fiz questão de continuar com a minha rotina para manter minha cabeça ocupada e não pensar só na doença. Quando me sentia mal, ia embora, mas nunca deixei de irr ? destaca.

Paula Oliveira, a professora de educação física que atua na academia frequentada por Edgard, comprova o quanto exercitar-se pode melhorar o ânimo.

? O esporte libera endorfina, hormônio que nos dá a sensação de prazer, além de nos colocar em contato com outras pessoas ?  afirma.

Antes de começar a praticar atividades físicas é preciso passar por uma avaliação médica e não apenas pela avaliação física que as academias fazem. Se não houver restrições, o paciente pode começar com caminhadas leves, de cerca de 20 minutos de duração.

Leia mais
Comente

Hot no Donna