Mistura de filosofia e terapia, o jin shin jyutsu propõe um trabalho sobre as áreas energéticas do corpo

Livro "O Toque da Cura" é fonte de informação dessa filosofia no Brasil

Técnica é definida como arte de harmonização através de toques com as mãos
Técnica é definida como arte de harmonização através de toques com as mãos Foto: Divulgação

Ainda pouco conhecido do público geral, o jin shin jyutsu é uma fisiofilosofia que procura harmonizar corpo, mente e espírito por meio de toques com as mãos em 26 áreas do corpo ? as chamadas travas de segurança ?, nas quais a energia vital circula. A parte teórica da filosofia pode parecer complicada à primeira vista, mas os benefícios e resultados são simples de serem alcançados. O conceito básico é saber “ler” o corpo, identificando se algo vai mal e de onde vêm as dores.

A terapeuta Déborah Carvalho, radicada em Brasília e que trabalha no ramo há 15 anos, explica:

? Diferentemente da acupuntura, que usa pontos específicos para sedar ou energizar os pacientes, buscamos a harmonização dessa energia e dos seus fluxos por meio de combinações de toques firmes, mas suaves, para cada distúrbio.

Segundo a especialista, um dos diferenciais do jin shin jyutsu é justamente a facilidade de pôr em ação as diferentes técnicas, que não exigem um ambiente preparado nem instrumentos além das mãos.

Os especialistas afirmam que o jin shin jyutsu não tem contraindicações e é usado, na maioria dos casos, como forma completamentar da medicina tradicional. Para a homeopata Selena Inneco, que recomenda as técnicas aos pacientes, outra importante característica, além da questão física, é poder trabalhar o emocional.

? Já atendi pessoas que usavam medicamentos psiquiátricos, mas melhoraram após algumas sessões ? garante.

Origem

Definido como arte de harmonização através de toques com as mãos, o jin shin jyutsu era transmitido oralmente no Japão. No entanto, já estava desaparecendo quando foi redescoberto e sistematizado pelo filósofo japonês Jiro Murai, em meados da década de 1920. Após ser diagnosticado com uma doença grave, relatos dizem que Murai isolou-se da família e encontrou a cura realizando alguns gestos com as mãos, ao mesmo tempo em que meditava e jejuava.

A partir daí, o estudioso buscou achar o motivo de ter sido curado em textos antigos chineses, gregos, hindus, além do Kojiki (livro mais antigo sobre a história japonesa) para, então, codificar as técnicas e práticas dessa fisiofilosofia. O jin shin jyutsu foi introduzido no Ocidente em 1950 por iniciativa de uma das alunas de Murai, Mary Burmeister, que decidiu compartilhar seus conhecimentos após mais de 17 anos de estudos. No Brasil, o livro O Toque da Cura, de Alice Burmeister e Tom Monte, é a principal fonte de informação dessa filosofia.

Rapidinhas

Para quem deseja resultados rápidos ou vai passar por algum momento de estresse, existem algumas dicas, chamadas de “rapidinhas”, que aliviam os problemas. A mais simples é segurar os dedos de uma mão com a outra mão (cada dedo tem relação com as travas de segurança):

Polegar
Trabalha emoções como preocupação e ansiedade, além de problemas de estômago, baço e indigestão

Indicador
Evita o medo, facilitando o relaxamento das costas e melhorando o funcionamento da bexiga e dos rins

Médio
Tem relação com raiva, irritação e frustração, além de problemas de fígado e vesícula

Anular
Melhora sentimentos como tristeza e mágoas e trabalha o funcionamento de pulmões e intestino grosso

Mínimo
Facilita a auto aceitação e o controle de determinadas situações. Tem relação com o coração e intestino delgado

Leia mais
Comente

Hot no Donna