Pesquisa aponta que 40% das mulheres gostariam de não menstruar

Mais de 70% das consultadas desconhecem o método de contracepção contínua

Pílula usada em regime estendido ou contínuo requer os mesmos cuidados que o uso tradicional
Pílula usada em regime estendido ou contínuo requer os mesmos cuidados que o uso tradicional Foto: Divulgação

Uma pesquisa realizada com 340 mulheres de 18 a 30 anos em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Recife concluiu que 71,9% das entrevistadas desconhecem a existência do chamado regime contínuo em contracepção, que coloca fim ou, ao menos, diminui os episódios de menstruação.

O estudo do Instituto Resulta com a Libbs Farmacêutica apontou que apenas 19,3% já usaram a contracepção contínua. Mesmo assim, 40% das entrevistadas afirmaram que gostariam de não menstruar para evitar, principalmente, cólicas, desconfortos e outros sintomas decorrentes da TPM.

O método contínuo de contracepção é uma opção para mulheres que sofrem com TPM, cólicas e endometriose, entre outros sintomas que alteram sua rotina pessoal e profissional. De acordo com 45% das mulheres ouvidas pela pesquisa, a principal dúvida é o efeito colateral apresentado pelos métodos orais escolhidos por elas.

? Sob os pontos de vista científico e médico, a pílula usada em regime estendido ou contínuo requer os mesmos cuidados que o uso tradicional, com pausas mensais de sete ou quatro dias. Atualmente, a mulher pode escolher a frequência do seu ciclo com segurança e sem causar prejuízo ao organismo ? ressalta o ginecologista Rogério Bonassi Machado, presidente da Comissão Nacional de Anticoncepção da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo).

A necessidade da pausa é outra dúvida que envolve a contracepção contínua. Nos últimos 10 anos, esse intervalo vem diminuindo. Segundo o ginecologista, a pausa não traz nenhum benefício, ao contrário, algumas mulheres sofrem com os efeitos de sintomas relacionados à menstruação, como cólicas, dores de cabeça, TPM entre outros. Para quem não quer menstruar mensalmente, por exemplo, podem ser utilizados anticoncepcionais hormonais orais combinados de uso contínuo, com 28 comprimidos e sem pausa entre as cartelas.

O tema da contracepção contínua é abordado durante o 54º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia, que termina nesta terça-feira, em Curitiba, no Paraná.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna