Protetor solar pode causar deficiência de vitamina D

Produto de fator 50 chega a reduzir síntese da substância no organismo em 95%

Foto: Emerson Souza

Passar protetor solar em excesso é uma atitude de risco em relação à osteoporose, alerta o reumatologista Sergio Bontempi Lanzotti, do Instituto de Reumatologia e Doenças Osteoarticulares (Iredo), de São Paulo.

? É um comportamento de risco principalmente para pessoas de pele clara. Passar a vida inteira evitando a exposição ao sol pode deixar o organismo deficiente de vitamina D. Um número crescente de pessoas, um em cada três adultos, sofre de deficiência de vitamina D devido à falta de exposição ao sol e à má alimentação. Essa condição aumenta o risco de osteoporose e fraturas em até 60% ? explica o médico.

Segundo ele, cerca de 90% da vitamina D no nosso organismo é produzida pela pele com a ajuda da luz solar. Os raios ultravioleta convertem o colesterol em vitamina D. Apenas uma pequena quantidade do nutriente é obtida por meio de dieta.

? Não há dúvidas que o risco de câncer de pele é real. Há uma linha tênue entre a obtenção de uma quantidade suficiente de vitamina D e o de não ter aumentando o risco de câncer de pele. Usar um protetor solar fator 50, por exemplo, pode diminuir a síntese de vitamina D em 95%, o que efetivamente para a produção do nutriente no organismo ? alerta o reumatologista.

De acordo com Lanzotti, todos precisam de exposição ao sol com a pele desprotegida, mas o tempo desta exposição varia de indivíduo para indivíduo.

? Em geral, quanto mais rápido sua pele tende a queimar, mais rápido seu organismo produz vitamina D, diz ele. Assim, uma pessoa de pele muito clara não precisará mais do que 10 minutos ao sol sem proteção ? diz.

Lanzotti conta porque a prevenção é fundamental quando se fala de osteoporose.

? Segundo um relatório elaborado pela Fundação Internacional de Osteoporose, o melhor é prevenir, pois a baixa adesão à terapia por parte dos pacientes é um fator recorrente ? diz.

Medicamentos que protegem os pacientes da perda óssea podem ser administrados diariamente, semanalmente, trimestralmente, mensalmente ou até anualmente.

? Para os que têm problemas com o ritual de ingestão dos comprimidos que combatem a osteoporose, há a opção do tratamento intravenoso anual ? informa o médico.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna