Revigorante, body combat queima até 700 calorias por aula

Descarga da adrenalina é o principal elogio dos alunos à modalidade

Divertida e com coreografias fáceis, público procura modalidade para relaxar e melhorar o condicionamento físico
Divertida e com coreografias fáceis, público procura modalidade para relaxar e melhorar o condicionamento físico Foto: Júlio Cordeiro

Disposição e um pouco de paciência para acertar o passo. Esses são os pré-requisitos necessários para se candidatar a fazer aulas de body combat. À base de coreografias embaladas por músicas com batida forte e contagiante, a modalidade é muito procurada especialmente pelas mulheres, conforme relata o professor de ginástica da Companhia Athletica, de Porto Alegre, Pedro Englert.

? A grande diferença do body combat é a diversão. Além de nos sentirmos lutadores, brincamos, rimos formamos novos amigos. O público feminino gosta disto, além da rápida mudança corporal que é possível notar. Já os homens, quando querem algo deste tipo, geralmente optam por uma arte marcial mais “concreta” e, digamos, “séria”, tipo o boxe ou o jiu jitsu ? revela.

Segundo o professor, o body combat é uma aula aeróbia, bastante indicada para quem quer perder peso e reduzir o percentual de gordura. Ele acaba ainda minimizando os incômodos do estresse e da tensão do dia a dia. Além disso, a modalidade, que pode ser praticada todos os dias da semana, garante resultados bastante eficazes em pouco tempo.

? O foco principal é o trabalho cardiovascular e a alta queima calórica. Podemos chegar a “derreter” até 700 calorias em uma hora de aula ? garante, ressaltando ainda que a definição dos membros superiores, principalmente ombros e braços, o aumento da força e da agilidade das pernas são concomitantemente percebidos pelos alunos.

Segundo Englert, a aula é coreografada com movimentos de lutas como boxe, kickboxing, karatê, capoeira e, até mesmo, do jiu jitsu brasileiro. Ao todo, relata, as sessões são compostas por 10 músicas onde é aplicado o sistema de Treinamento Intervalado, ou seja, experimenta-se picos de movimento e pequenos momentos de recuperação, para se chegar a um resultado melhor e mais rápido.

? Os encontros são montados através de coreografias de fácil execução e que tem uma progressão didática. Começamos com um aquecimento de braços e pernas. Logo após, intercalamos trabalhos mais focados para membros inferiores e superiores, sempre com foco aeróbico. No final da aula, temos um trabalho localizado de estabilizadores do tronco e um alongamento de todo o corpo ? descreve Englert.

O que observar na hora de optar pela modalidade

O professor da Companhia Athletica diz ainda que, por ser uma aula livre, ou seja por não usar materiais como barras e pesos, as restrições a ela são mínimas, sendo indicada para todas as pessoas que tenham liberação médica para a prática de exercícios físicos.

? É claro que é preciso estar atento a alguns detalhes. Pessoas com sobrepeso, encurtamento de membros inferiores e instabilidade de joelhos ou tornozelos devem ter atenção redobrada. Mas, se houver o acompanhamento de um bom profissional e se a técnica for mantida durante toda a aula, o body combat não oferece riscos à saúde.

Englert garante ainda que, apesar do esforço redobrado, os alunos saem sempre satisfeitos da aula, tanto com o desempenho do corpo quanto com o relaxamento emocional provocado pelos exercícios praticados.

? A aula é muito desafiante, tanto para o corpo quanto para a mente. A sensação de vitória depois dos encontros é sempre relatada pelos meu alunos. O cansaço, é claro, é grande, mas a sensação de dever cumprido, de superação pessoal e de aumento de auto-estima é o que prevalecem no final ? relata.

:: Benefícios

? alta queima de calorias;

? redução do percentual de grudaras;

? condicionamento físico, especialmente dos membros superiores;

? aumento da força e da agilidade das pernas;

? combate os sintomas do estresse;

? aumento da auto-estima.

:: Cuidados

? é preciso ter aval médico para praticar exercícios físicos;

? pessoas com sobrepeso, encurtamento de membros inferiores e instabilidade de joelhos ou tornozelos devem ter atenção redobrada.

Leia mais
Comente

Hot no Donna