Saúde íntima: 5 cuidados indispensáveis no verão

Calor, praia e piscina fazem do verão uma época delicada para a saúde íntima
Calor, praia e piscina fazem do verão uma época delicada para a saúde íntima

Verão chegando, calor pegando e o destino desejo é um só: colocar um biquíni e aproveitar o sol junto à praia ou piscina. Se esta é a época do ano em que estamos mais expostas (literalmente) por aí, também é a estação mais quente do ano a que exige maiores cuidados com a saúde da região íntima feminina. Isso porque é no verão que doenças como a candidíase são mais frequentes.

– O clima quente é ideal para a proliferação de fungos e bactérias, por conta da transpiração íntima ser maior do que no restante do ano – explica o ginecologista Marcelo Steiner, consultor da Netfarma.

Segundo o especialista, alguns hábitos influenciam diretamente na saúde íntima das mulheres:

– Usar roupas muito justas e ficar com biquíni molhado por muito tempo podem causar irritações e até infecções. É preciso deixar a região seca, além de usar roupas mais leves para permitir uma “transpiração” adequada.

:: Confirmado: dormir sem calcinha faz bem para a saúde 
:: Conheça as técnicas de depilação e escolha a que mais combina com você
:: Como resolver três constrangedores problemas de beleza

Para garantir um verão tranquilo e sem surpresas desagradáveis, confira cinco dicas do ginecologista em relação a cuidados extras com a saúde íntima.

Roupas mais soltas facilitam a transpiração da região íntima

Roupas mais soltas facilitam a transpiração da região íntima

:: Dê preferência a roupas leves.
Passar longos períodos com calças ou shorts apertados ou justos demais tende a “abafar” a região pélvica, deixando-a úmida e com retenção de calor. Opte por peças como saias e vestidos, que ajudam a respiração da região íntima, assim como calcinhas de algodão.

 

Nada de exagerar nos banhos

Nada de exagerar nos banhos

:: Não exagere nos banhos diários
Na higiene diária, opte por utilizar sabonetes líquidos íntimos femininos – esses produtos possuem um pH compatível com o da região íntima feminina graças à presença do ácido lático, agente responsável por esse equilíbrio. Quando o pH fica desequilibrado – em situações de estresse ou devido à própria umidade extrema –, a vagina fica predisposta ao surgimento de infecções.

Tá calor, tá calor

Tá calor, tá calor

:: Nos dias mais quentes, prefira calcinhas de algodão
Lingeries produzidas com tecidos sintéticos, como náilon ou renda, ajudam a aumentar ainda mais a umidade da região por atrapalharem a transpiração. Calcinhas de algodão, por sua vez, permitem um correto arejamento da virilha. Dormir sem calcinhas também é uma dica valiosa – e a gente já tinha te contado sobre isso aqui.

Maiô molhado: dê um tempo

Maiô molhado: dê um tempo

:: Na praia ou piscina, evite ficar com roupas molhadas
Após aquele banho de mar ou de piscina para dar uma refrescada, não fique por muito tempo fora da água com o biquíni ou o maiô molhado. Mais uma vez, o problema é a famigerada umidade exagerada na vagina que, aliada ao abafamento provocado pelos tecidos sintéticos da moda praia, permite a criação de um ambiente perfeito para a proliferação de bactérias e fungos causadores de infecções.

Amaciante? Não obrigada

Amaciante? Não obrigada

:: Evite o uso de amaciantes e alvejantes nas calcinhas
Prefira sabão neutro para lavar suas peças, lembrando sempre de enxaguar bem e não deixar a calcinha secando no banheiro – como trata-se de um local úmido por excelência, o ambiente propicia a multiplicação de fungos nas roupas íntimas.

Pronto – agora é só curtir o sol e o calor com saúde!

Fomos!

Fomos!

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna