-

Gordas na telinha: Um Plus a Mais ganha programa semanal ao vivo

Gordas na telinha: Um Plus a Mais ganha programa semanal ao vivo

Para tudo! Quem segue a página do blog no Facebook já sabe da novidade, mas ainda não havia compartilhado por aqui. Agora, o Um Plus a Mais tem também um programa semanal, que será transmitido ao vivo toda quinta-feira, a partir das 18h30min. Siiim!

Aqui no Um Plus A Mais
:: Por que, afinal, as pessoas estão tão preocupadas com os seios da Bruna Marquezine?
:: Beleza em dose dupla! Ashley Graham posa para campanha de biquíni ao lado da mãe
:: Alalaô! Uma seleção de peças plus size para montar seu look de Carnaval – e arrasar nos bloquinhos
:: As melhores marcas plus size de moda praia para encontrar o biquíni do seu verão
:: Barriga, celulite e estrias sem filtro: youtuber mostra seu corpo como é para inspirar outras mulheres

A estreia rolou na semana passada, durante a programação especial de Dia da Mulher da Revista Donna. Nossas primeiras convidadas foram a modelo plus size e professora Priscila Chagas Oliveira, a nossa Cecília, e a empresária Viviane Lemos, criadora do Bpspoa – Feira de Moda Plus Size. Na nossa pauta, a importância da moda para construir a autoestima da mulher gorda. Espia aqui como foi o primeiro programa do Plus:

 

Nesta quinta, a convidada da vez é a fotógrafa paulista Milena Paulina, autora do maravilhoso projeto “Eu, Gorda”. A ideia é retratar a beleza de diferentes tipos de corpos e ajudar na construção da autoestima da mulher gorda. Nosso encontro está marcado para amanhã, 18h30min, viu? O programa é transmitido ao vivo no Facebook da Revista Donna, e você pode participar mandando perguntas.

Olha só que incrível o trabalho da Milena:

@heyolga para o “Eu, gorda”.

Uma publicação compartilhada por Milena Paulina (@olhardepaulina) em

“O fato de eu ter emagrecido 40kgs em 1 ano por motivos de estar completamente doente da cabeça e ainda receber incontáveis elogios por isso foi marcante. Confesso que se não fossem os elogios e a mudança de comportamento das pessoas que me cercavam, talvez eu mesma acreditasse que a minha doença me fazia bem. Porém, no momento em que vi uma mãe desejando a mesma doença pra sua filha “ver se tomava vergonha na cara”, percebi que tinha algo MUITO errado. Abri meus olhos pra raiz do problema e do quanto ela precisa ser investigada, estudada, divulgada. A gordofobia, que é estrutural, e a pressão estética, que está sempre presente, são os verdadeiros vilões, catalisadores dos nossos traumas físicos e mentais. Quando enxerguei isso, descobri crenças limitantes que me regeram a vida inteira. Sigo tentando me livrar delas, mas é um processo longo, e tenho certeza que isso tudo aconteceu porque meu corpo precisava da minha atenção, do meu olhar, da minha compaixão. Depois de procurar muito meu propósito na vida, achei o @olhardepaulina e pela primeira vez reconheci minha luta.  Achei meu lugar de fala, mas, principalmente e antes de tudo, meu lugar de escuta. Saber escutar a vivência da outra pessoa e realmente se importar com a dor dela como se fosse a sua. Questionar a outra e questionar a si mesma. Levantar a outra e levantar a si mesma. Não entender como uma pessoa tão forte, inteligente, charmosa – e vários outros elogios não-relacionados à aparência física, não consegue enxergar sua própria beleza e potencial perfeição. A perfeição vem de uma palavra que significa, na verdade, estar completo. A perfeição estética não existe e é por isso que ela causa tanta frustração, e tudo isso que fode com a nossa cabeça. Participar do projeto me fez acordar pra um propósito que estava ali o tempo inteiro.” @camilalombardi para o “Eu, gorda” no coletivo de Fevereiro, na cidade de São Paulo. Maquiagem por: @belezaplusize.

Uma publicação compartilhada por Milena Paulina (@olhardepaulina) em

 

Até amanhã, gurias!