Por que, afinal, as pessoas estão tão preocupadas com os seios da Bruna Marquezine?

Por que, afinal, as pessoas estão tão preocupadas com os seios da Bruna Marquezine?

Sábado de Carnaval. Ruas tomadas por glitter de unicórnios e sereias que deixaram os bloquinhos ainda mais coloridos. Brilho, suor e cerveja. E até uma pitada de “tô nem aí”. Pode até ser impressão minha, mas as pessoas parecem estar curtindo demais a farra neste Carnaval, sem pensar tanto “no que os outros vão pensar”, sabe? Vi tantas gurias lindas e faceiras pulando por aí de maiô e tênis – algo que, vamos combinar, parecia praticamente impossível para reles mortais há alguns anos. Menos preocupação com parecer gostosa, mais preocupação com aproveitar ao máximo os dias de folia.

E é justamente nesse cenário – cuja preocupação máxima é o preço de latão de ceva – que surge a polêmica mais contraditória deste Carnaval. Enquanto o Brasil se divide entre os bloquinhos da folia, da praia e da Netflix, apareceu gente discutindo sobre os peitos da Bruna Marquezine. Pois é. Tudo começou no fatídico sábado, quando a atriz de 22 anos desfilou como musa do Bloco da Favorita, no Rio. Você talvez tenha visto a fantasia de Bruna no Instagram: uma hotpant com brilhos mil e um sutiã carregado de pedrarias. Ela até brincou que a fantasia não seguia um tema específico: “Estou fantasiada de Carnaval. Não precisa de tema para sair no Carnaval. Quero me divertir. Quero dançar”, disse, em entrevista à Folha de SP. Mas enquanto Bruna só estava preocupada em se acabar sambando, uma onde de comentários sobre os peitos da moçoila ganhou as redes sociais. O teor? Muitos afirmavam que ela teria “peitos caídos”. Não vou me dar ao trabalho de reproduzir aqui, mas, em se tratando de redes sociais e as pessoas falando o que vem à cabeça, sem levar em conta que tem um ser humaninho ali, do outro lado, lendo tudo, vocês imaginam o teor.


Dá para acreditar? 2018, mores, e o povo ainda metendo o bedelho no corpo alheio? Pois é. Mas o que mais me choca nem são os comentários podres, porque a gente bem sabe que há quem distorça o real significado de liberdade de expressão. O problema é pensar que uma menina como Bruna, de 22 anos, magra e famosa, é alvo de tanta pressão estética. Se ela, que é conhecida como uma das mulheres mais bonitas do Brasil – e, vamos combinar, até onde eu sei tem uma beleza super padrão – é alvo de comentários desse tipo, o que sobra para nós, mortais? Nem alguém que é ícone de beleza nacional está alheia ao escárnio de quem (ainda) cobra estar dentro dos padrões.

E que padrão tão absurdo é esse? Bem, de gente que talvez nunca tenha visto um peito natural na vida depois que foi amamentado pela mãe, né? De quem acredita que peitos belos mesmo são aqueles fartos e empinados. Com mamilos que poderiam funcionar como uma bússola, sempre apontando para o norte. Seu peito não é redondinho? Olha, querida, a (única) solução para sua vida é se render ao bisturi e inflar seus seios com muitos mLs de silicone (ironia mode on).

Aqui no Um Plus A Mais
:: Beleza em dose dupla! Ashley Graham posa para campanha de biquíni ao lado da mãe
:: Alalaô! Uma seleção de peças plus size para montar seu look de Carnaval – e arrasar nos bloquinhos
:: As melhores marcas plus size de moda praia para encontrar o biquíni do seu verão
:: Barriga, celulite e estrias sem filtro: youtuber mostra seu corpo como é para inspirar outras mulheres
:: #GordofobiaNãoÉPiada: a hashtag que traz os relatos de luta e amor próprio mais lindos do Instagram
:: A gorda e a magra! Modelo plus size reproduz foto da top Gigi Hadid – e arrasa!
:: Magra de Taubaté: Por que a lipo da Boca Rosa pode gerar tantas neuras com o corpo

Não é doido demais? Parece que a grande descoberta desse Carnaval é como são os peitos naturais. Estamos tão acostumados com os seios siliconados e o Photoshop dos anúncios de lingerie que muita gente nem lembra mais como são peitos de verdade. Parece que esquecemos que, mesmo quando os seios são de tamanho médio, como os de Bruna, existe uma coisinha chamada gravidade que faz com que eles não fiquem estáticos e empinados o tempo todo. E, pasmem: peitos naturais se mexem também, sabia? Mais uma curiosidade: seios podem ter formatos diferentes. Tão diversos quanto o número de mulheres que habitam o planeta. Aliás, sabia que os peitos (naturais) de uma mesma mulher podem ter tamanhos levemente diferentes entre si? Trago verdades, eu sei.

Se uma mulher como Bruna é alvo de comentários desse tipo, fico me perguntando o que sobra para alguém como eu, que tem celulite, estria, braço roliço e veste tamanho 50. Deveria me esconder nas cavernas para não machucar os olhos de quem aguenta ver nem um peito (supostamente) caído? Episódios como este só reforçam o quanto a pressão estética ainda atinge as mulheres. Faz com que a régua aumente cada vez mais – não basta ser magra, linda e famosa, seus peitos precisam ser perfeitos. Me pergunto: e o que sobra para quem está fora dessa bolha, sabe?

Mas sabe qual a melhor parte dessa treta toda? Enquanto o povo respingava veneno por aqui, Bruna voava para Paris, para aproveitar o restinho do Carnaval ao lado de Neymar. Vamos falar sobre dar as costas para bobagem? Como diria Jair Rodrigues, deixa que digam, que pensem, que falem.

 

O que a Bru deve estar pensando de tudo isso? 

IDGAF

Uma publicação compartilhada por Bruna Marquezine ♡ (@brumarquezine) em

 

Leia também
:: Nude inspirador – e de luxo! Top plus size gaúcha posa para fotógrafo J.R. Duran

:: Estas fotos mostram (mais uma vez) que mulheres gordas podem ficar incríveis em vestidos de festa
:: Alexandre Herchcovitch fala sobre coleção para plus size: “Elas querem roupa justa e tendência, só que em tamanho maior”
:: Semana de moda de NY apresenta desfile com modelos plus size; inspire-se nas tendências
:: 5 razões para assistir “Gostosas, Lindas e Sexies”, longa que estreia com quatro protagonistas plus size
:: Look de Fabiana Karla no Emmy Internacional quebra mitos sobre moda plus size
:: Modelos plus size desfilam na SPFW e comemoram: “As pessoas precisam saber que o gordo existe”
:: Por que essa foto de Ashley Graham andando de bike é tão inspiradora – para gordinhas ou não

 

Plus a Mais também no Face!

O blog ganhou sua própria página no Facebook. Clica aqui para conhecer (e dar aquele like amigo! haha)

pluscardnovo

 

Beleza em dose dupla! Ashley Graham posa para campanha de biquíni ao lado da mãe

Beleza em dose dupla! Ashley Graham posa para campanha de biquíni ao lado da mãe

Que a modelo curvy Ashley Graham é maravilhosa, estamos cansadas de saber. Ela uma das responsáveis por colocar a figura de uma mulher mais curvilínea nas principais publicações do mundo. O resultado? Pela primeira vez na história, uma top de manequim maior do que o habitué entrou para o ranking das 10 modelos mais bem pagas do mundo, ao lado de Gisele Bündchen, Kendall Jenner e Gigi Hadid.

O mais bacana de tudo isso é que, sempre que pode, Ashley planta a sementinha da diversidade nas campanhas em que participa. A nova empreitada é que a top acaba de posar ao lado da própria mãe para um ensaio da marca de moda praia Swimsuits for All.

Aqui no Um Plus A Mais
:: Alalaô! Uma seleção de peças plus size para montar seu look de Carnaval – e arrasar nos bloquinhos
:: As melhores marcas plus size de moda praia para encontrar o biquíni do seu verão
:: Barriga, celulite e estrias sem filtro: youtuber mostra seu corpo como é para inspirar outras mulheres
:: #GordofobiaNãoÉPiada: a hashtag que traz os relatos de luta e amor próprio mais lindos do Instagram
:: A gorda e a magra! Modelo plus size reproduz foto da top Gigi Hadid – e arrasa!
:: Magra de Taubaté: Por que a lipo da Boca Rosa pode gerar tantas neuras com o corpo

graham3

Aos 53 anos, Linda Graham aparece vestindo biquíni e maiô – e provando, mais uma vez, que o manequim e a idade não mandam no tamanho ou no estilo do que você veste. As fotos foram clicadas no Marrocos, e estão in-crí-veis! Nem precisamos dizer que a dupla mãe & filha deu um show, né?

– Quero que as mulheres da idade da minha mãe se sintam empoderadas e sensuais usando maiôs, biquinís e até calcinha de lacinhos – contou Ashley, em entrevista à Vogue America. _ Acredito que beleza vai além da idade, raça ou tamanho, e não é passageira – em todos os momentos de sua vida, você pode se sentir linda.

graham2

Chamada carinhosamente de Mama Graham, Linda já ganhou até um perfil no Instagram para chamar de seu: @themamagraham. Bora seguir?

Sabe por que eu achei essa sacada da Swimsuits for All tão bacana?

Além de toda a fofura de Ashley posar ao lado da mãe, reforça – na prática – a ideia de que, se você quiser, não tem problema nenhum usar o mesmo biquíni da sua filha. Repara bem: as duas estão vestindo beachwear em modelagens e até cores parecidas, né? E aparecem sorridentes, faceiras que só! Linda tem 53, uma idade em que muitas mulheres já estão ouvindo aquela patrulha chata da sociedade que impõe a troca do biquíni pelo maiô. Ou aposentar as saias curtinhas, o cabelo mais longo… Mas, pelo menos nas fotos, não parece se importar com isso. E é esse movimento lindo que a gente tem percebido cada vez mais: as chamadas ageless, mulheres que não se prendem a padrões de comportamento ligados a idade, estão cada vez mais em evidência. E que assim siga <3

grah2

 

Leia também
:: Nude inspirador – e de luxo! Top plus size gaúcha posa para fotógrafo J.R. Duran

:: Estas fotos mostram (mais uma vez) que mulheres gordas podem ficar incríveis em vestidos de festa
:: Alexandre Herchcovitch fala sobre coleção para plus size: “Elas querem roupa justa e tendência, só que em tamanho maior”
:: Semana de moda de NY apresenta desfile com modelos plus size; inspire-se nas tendências
:: 5 razões para assistir “Gostosas, Lindas e Sexies”, longa que estreia com quatro protagonistas plus size
:: Look de Fabiana Karla no Emmy Internacional quebra mitos sobre moda plus size
:: Modelos plus size desfilam na SPFW e comemoram: “As pessoas precisam saber que o gordo existe”
:: Por que essa foto de Ashley Graham andando de bike é tão inspiradora – para gordinhas ou não

 

Plus a Mais também no Face!

O blog ganhou sua própria página no Facebook. Clica aqui para conhecer (e dar aquele like amigo! haha)

pluscardnovo

5 conquistas que fizeram a diferença para as mulheres em 2017 – e o que ainda precisamos para 2018

5 conquistas que fizeram a diferença para as mulheres em 2017 – e o que ainda precisamos para 2018

Final de ano é a época em que a gente relembra tudo o que teve de bacana ao longo dos últimos 365 dias – e também o que não foi tão legal assim. É hora de pensar no que a gente poderia ter feito diferente. E no que deseja alcançar. Na vibe retrospectiva, vamos relembrar as conquistas que tornaram um pouquinho mais fácil ser mulher em 2017 – e o que queremos alcançar em 2018.

Spoiler: temos muito trabalho pela frente, gurias! 

Aqui no Um Plus A Mais
:: #GordofobiaNãoÉPiada: a hashtag que traz os relatos de luta e amor próprio mais lindos do Instagram
:: Magra de Taubaté: Por que a lipo da Boca Rosa pode gerar tantas neuras com o corpo
:: Nude inspirador – e de luxo! Top plus size gaúcha posa para fotógrafo J.R. Duran
:: Estas fotos mostram (mais uma vez) que mulheres gordas podem ficar incríveis em vestidos de festa
:: Alexandre Herchcovitch fala sobre coleção para plus size: “Elas querem roupa justa e tendência, só que em tamanho maior”

É lindo demais ver uma mulher cheia de curvas como Ashley Graham aparecendo cada vez mais em capas de revista e comerciais. Ela tem suas celulites, sim, uma dobrinha aqui e outra acolá – e demonstra uma confiança que vai muito além de qualquer manequim. Fora que é estilosa que só, né? Neste ano, vimos a top entrar para o ranking das 10 modelos mais bem pagas do mundo, ao lado de nomes como Gisele Bündchen e Karlie Kloss. Foi a primeira vez que uma modelo considerada plus size entrou na lista.

MAS…

…falta muito, mas MUITO ainda para conquistarmos representatividade real no mundo da moda. Ashley é responsável por colocar as garotas curvy nas páginas de revista, mas a gente sabe bem que uma parcela significativa das mulheres veste mais do que 46 – eu inclusive. E Ashley, querendo ou não, ainda está próxima dos padrões: quase não tem barriga, por exemplo, mesmo sendo mais curvilínea do que uma angel da Victoria’s Secret. Queremos ainda mais diversidade de corpos, que representem DE VERDADE a multiplicidade de mulheres que vemos nas ruas. Para citar alguns exemplos? As maravilhosas – e brasileiras – Mayara Russi e Bia Gremion.

 

***

Ela soma mais de 15 anos de uma carreira como modelo para lá de bem-sucedida no Exterior. Quer mais? Neste ano, a incrível Fluvia Lacerda resolveu compartilhar com a gente doses generosas de autoestima em seu livro Gorda Não É Palavrão, um misto de autobiografia e autoajuda. O objetivo? Ensinar a ser feliz gostando do nosso próprio corpo como ele é. Inspiração das boas.

 

MAS…

…mesmo sendo a top plus size mais famosa do Brasil, Fluvia conquistou pouco espaço por aqui – como muitas modelos GG. Queremos ver mais mulheres gordas e lindas em revistas e propagandas, e não só no escaninho “mulher plus size”. Por que Fluvia não poderia estar em uma campanha de maquiagem? Ou em um comercial de carro? A mulher gorda precisa ser vista como referência e parte da sociedade, e não só quando se fala de moda.

 

Leia mais
:: Duas novas marcas com tamanhos maiores que vale a pena conhecer

:: 3 marcas que criam lingeries incríveis para plus size
:: 5 coisas que as mulheres gordas sempre ouviram que não, mas pode SIM fazer

***

Uma boa notícia: em agosto, a revista americana Variety publicou uma lista com os maiores salários de atores e atrizes de drama e comédia dos Estados Unidos. O que a gente esperava? Disparidade, como estamos acostumadas a ver – a mulher ganhando bem menos para um papel de igual importância. Mas, sim, há esperança, gurias: pelo menos quando se fala de Game of Thrones, os principais atores e atrizes recebem o mesmo valor, cerca de US$ 500 mil por episódio.

MAS…

No mundo real, a gente sabe que ainda não é assim. O chamado gender pay gap, quando homens recebem valores mais altos do que as mulheres em uma mesma empresa ou em um mesmo projeto, é realidade no mercado de trabalho. Ninguém é boba de pensar que em um ano vamos resolver essa desigualdade histórica, mas que tal apoiar iniciativas e valorizar ainda mais o trabalho das mulheres que te cercam?

source

***

A Global Entrepreneurship Monitor 2016, pesquisa desenvolvida pelo Sebrae e pelo Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP), revelou que 51,5% das empresas brasileiras criadas nos últimos três anos e meio foram idealizadas e executadas por mulheres. Sim, estamos empreendendo como nunca!

MAS…

…ainda somos minoria em cargos de liderança nas grandes empresas: os homens estão na chefia de 57,3% das posições principais, como presidência e CEO. E isso não é falta de competência não, viu? Fatores relacionados ao machismo, aquele inimigo bem conhecido de nós todas, explicam: mulher engravida e tira licença-maternidade, falta mais para cuidar de filho doente (porque muitos homens ignoram suas responsabilidades como pais)… E também há mentes pequenas que acreditam que mulheres não sabem negociar, ou gerenciar empresas e gerir pessoas. Mais do que na hora de pisotear nesse patriarcado, né?

giphy (4)

***

Nunca se falou tanto sobre abusos e assédio. Das redes sociais às conversas de bar, o tema virou assunto pautado tanto por casos de mulheres comuns, como eu e você, até de denúncias envolvendo famosos, como o produtor de cinema Harvey Weinstein e o ator José Mayer. Botar a boca no trombone não é nem um pouco fácil, a gente sabe. Mas funciona.

MAS…

…o debate precisa chegar a mais mulheres, porque segue na nossa bolha privilegiada. Precisa estar também na casa da senhora que mora na zona rural daquele município de 5 mil habitantes, que acha que é normal o marido cansado descontar sua raiva nela. E de tantas mulheres pobres, negras ou trans que estão sujeitas a situações de assédio que nem imaginamos. Mais do que denunciar, queremos que isso não aconteça mais.

 

Parece pouco? Sim. Mas já somamos mais conquistas do que em 2016. Como diria Dilma, vamos deixar a meta aberta e, quando atingirmos, vamos dobrar a meta. O que não podemos mais é parar de avançar. Tamo juntas, gurias?

 

Veja também
:: Semana de moda de NY apresenta desfile com modelos plus size; inspire-se nas tendências

:: 5 razões para assistir “Gostosas, Lindas e Sexies”, longa que estreia com quatro protagonistas plus size
:: Look de Fabiana Karla no Emmy Internacional quebra mitos sobre moda plus size
:: Modelos plus size desfilam na SPFW e comemoram: “As pessoas precisam saber que o gordo existe”
:: Por que essa foto de Ashley Graham andando de bike é tão inspiradora – para gordinhas ou não

UPDATE!

O blog ganhou sua própria página no FacebookClica aqui para conhecer (e dar aquele like amigo! haha)

pluscardnovo

Magra de Taubaté: Por que a lipo polêmica da Boca Rosa pode gerar tantas neuras com o corpo

Magra de Taubaté: Por que a lipo polêmica da Boca Rosa pode gerar tantas neuras com o corpo

Influenciadora: está aí uma das palavras mais ouvidas nos últimos anos. De moda a maquiagem, decoração a vida fitness, cinema, games, música… Tem muita, mas muita gente bacana que vira referência pela internet da vida por falar dos mais variados assuntos. Viciadinha em Instagram que sou, sigo muitas – mas confesso que já dei unfollow em várias também. Das que permanecem ali no feed, ganhando meu like a cada novo post, estão gurias que foram fundamentais para me ajudar a encarar de um jeito mais sadio e empático minha própria imagem refletida no espelho.

A Ju Romano, uma das primeiras bloggers plus size do Brasil, me ensinou que não tem problema nenhum usar regata se você tem braços gordinhos. A Fluvia Lacerda, modelo que foi capa de Donna há algumas edições, mostrou que não preciso de medinho nenhum se quiser colocar um vestido justo. A lista é longa: a Jé Lopes, do Femme Fatale, que, a cada vídeo, injetava na minha cabeça que dá para ser gorda and maravilhosa. A Gabi Fresh, uma fashionistona daquelas, com etiqueta tamanho 50. Minha timeline, ainda bem, está repleta destes (e muitos outros) mulherões incríveis. Todas elas, de um jeito ou de outro, acabaram influenciando minha vida – olha aí a tal palavrinha da vez provando seu significado. Para minha sorte, (muito) positivamente. Só que nem sempre é assim.

Aqui no Um Plus A Mais
:: Nude inspirador – e de luxo! Top plus size gaúcha posa para fotógrafo J.R. Duran
:: Estas fotos mostram (mais uma vez) que mulheres gordas podem ficar incríveis em vestidos de festa
:: Alexandre Herchcovitch fala sobre coleção para plus size: “Elas querem roupa justa e tendência, só que em tamanho maior”
:: Duas novas marcas com tamanhos maiores que vale a pena conhecer
:: 3 marcas que criam lingeries incríveis para plus size

Esses dias, a influencer-blogueira-youtuber Bianca Andrade, mais conhecida como Boca Rosa, virou assunto para além do Instagram. O motivo? A moça admitiu, sem querer, que fez lipoaspiração. E a internet veio abaixo.

É aqui que vocês perguntam: o que tem de mal nisso, afinal? Nada. Nada mesmo. Não é problema nenhum fazer cirurgia plástica se isso vai te fazer feliz. Se vai contribuir para sua autoestima e você está com uns pilas a mais no bolso, vai em frente. Palavras de quem já passou pela faca: eu mesma fiz mamoplastia, aquela cirurgia redutora dos seios, quando tinha pouco mais de 18 anos. Analisando hoje, aos 27, acho que faria do mesmo jeito, mas provavelmente teria esperado mais para ter certeza de que era a decisão correta.

Minha única ressalva com a plástica: precisa ser uma decisão bem pensada, que realmente te ajude e não vire gatilho para mais neuras com o corpo. E isso vale para plástica no nariz, silicone, lipo e até a polêmica bariátrica. Vale conversar com o médico, com as amigas, com a família e, principalmente, refletir se é isso mesmo que a gente quer. E se for, tudo bem. Mesmo.

Só que, no caso da Boca Rosa, o buraco é mais embaixo. Para quem não está ligada, ela virou uma das embaixadoras do abdômen trincado nas redes. Em seu Insta, que acumula mais de 5,7 milhões de seguidores – a maioria absoluta de meninas adolescentes –, Bianca vive falando sobre os 14 quilos que emagreceu com seu “novo estilo de vida”, baseado em “alimentação, treinos, estética, cinta e ortomolecular”. A tal cinta, aliás, virou objeto de desejo das seguidoras que buscam a barriga negativa da blogueira: aparece inclusive no vídeo “Como ter a cintura mais fina”, com mais de 1 milhão de views em seu canal do YouTube.

boca-rosa-lipo-1

Print de um post que foi apagado do Insta de Bianca

Além da tal cinta mágica, Bianca também credita sua boa forma às “comidinhas da terra”, como ela chama a dieta que segue, que não inclui quase nada de produtos industrializados. E a tal lipo? Jamais foi citada. Até que ela deixou a informação vazar durante o programa The Bate Boca, da rádio Mix FM. Quando os apresentadores chamaram o intervalo, Bianca, que não sabia que a atração estava sendo transmitida ao vivo também pelo Facebook, chama a mãe ao estúdio e questiona: “Vão perguntar da lipo. O que eu falo?”. Tarde demais: já havia vazado.

E qual o problema de o público saber da lipo? Bem, se Bianca fosse uma blogueira de moda comum, nenhum. Se fosse uma pessoa “normal”, nenhum também. Só que Bianca fala, todos os dias, para quase 6 milhões de seguidores que sua barriguinha trincada – bem além da de qualquer viciada em academia – é resultado somente de exercícios e alimentação saudável. Passa a ideia de que é fácil emagrecer, e a gente bem sabe que não é. Cria a ilusão de que, com uma cinta “mágica” que custa um dinheirão, as gurias que a seguem também podem conseguir. E gera uma frustração absurda quando, ao final do dia, elas tiram a tal cinta e percebem que a barriga não virou six pack. “Amo demais a Bia, mas sofri para ter uma barriga que nem a dela, procurei a cinta e tudo… Ela tem essa cintura porque fez lipo, esqueceu de falar isso!?”, questiona uma das seguidoras. E não é verdade?

Quando isso vem de uma influenciadora, principalmente com o poder e a abrangência da Boca Rosa, não dá para ser desonesto assim. Querendo ou não, ela influencia e até vira exemplo para muita adolescente – como aquela sua sobrinha ou a prima mais nova, já pensou? Se na nossa adolescência as atrizes da TV eram referência de beleza, hoje são as influencers – e não dá para ignorar a força que essas gurias têm, para o bem ou para o mal. Podem ajudar a lidar melhor com o próprio corpo, ensinar a fazer uma make que deixa você ainda mais bonita ou, claro, criar a ideia de que você pode emagrecer 14 quilos facilmente e ter uma barriguinha de Photoshop graças a uma cinta modeladora. Boca Rosa, isso não cola mais.

Veja também
:: 5 coisas que as mulheres gordas sempre ouviram que não, mas pode SIM fazer
:: Semana de moda de NY apresenta desfile com modelos plus size; inspire-se nas tendências

:: 5 razões para assistir “Gostosas, Lindas e Sexies”, longa que estreia com quatro protagonistas plus size
:: Look de Fabiana Karla no Emmy Internacional quebra mitos sobre moda plus size
:: Modelos plus size desfilam na SPFW e comemoram: “As pessoas precisam saber que o gordo existe”
:: Por que essa foto de Ashley Graham andando de bike é tão inspiradora – para gordinhas ou não

UPDATE!

O blog ganhou sua própria página no FacebookClica aqui para conhecer (e dar aquele like amigo! haha)

pluscardnovo

 

Por que Anitta dizer que vai parar de fazer dieta e “virar” plus size é tão sem noção

Por que Anitta dizer que vai parar de fazer dieta e “virar” plus size é tão sem noção

Anitta virou a rainha do pop nacional, não dá para discordar. Mas, goste você ou não do trabalho da poderosa – e, vale frisar, faço parte do time que não perde um show da cantora por aqui –, não dá para ignorar que ela dá umas escorregadas feias.

Às vezes, nem quem te ama consegue te defender, amiga.

anitta1

A mais recente foi um dia desses, quando Anitta disse que ia “virar plus size” porque não queria mais fazer dieta. Foi além: em vídeos postados nos Stories de seu Instagram, ainda encenou o jeito que, na visão dela, uma pessoa gorda anda e fala – de um jeito escancaradamente debochado. Quer mais? Ainda completou dizendo que, se ganhasse muitos quilos, a imprensa nem a reconheceria mais. Pois é.

Anitta, nem sei por onde começar, sabe? Mas senta que a gente precisa conversar. Como alguém que acompanha sua evolução desde Show das  Poderosas, me reservo o direito de explicar, tim-tim por tim-tim, por que você deu uma mancada das grandes.

anitat1

Já de largada, não diga que vai “virar plus size” porque não quer mais fazer dieta. Você pode não se dar conta, mas essa brincadeirinha aparentemente inocente minimiza toda uma parcela das mulheres – a maioria das brasileiras, aliás –, que fica reduzida a pessoas preguiçosas que não querem fazer dieta. O velho estereótipo da gorda comilona e preguiçosa, que ninguém atura mais. Não sei se você sabe, mas muita gente não é gorda porque quer ou porque foge do regime, sabia? Não dá mais para fazer essa ligação entre magra e saudável-rainha-do-brócolis x gorda e comedora-compulsiva-de-fast-food. Ah! E não custa lembrar que existe muita gorda para lá de saudável, que tem uma alimentação mais regrada do que muita musa fitness por aí. Outro detalhe: mesmo que você fique sem dieta até o Carnaval, como falou no vídeo, eu duvido DE VERDADE que você vá ganhar 40 quilos e usar 46 – que é onde começa o manequim plus size.

Aqui no Um Plus A Mais
:: Nude inspirador – e de luxo! Top plus size gaúcha posa para fotógrafo J.R. Duran
:: Estas fotos mostram (mais uma vez) que mulheres gordas podem ficar incríveis em vestidos de festa
:: Alexandre Herchcovitch fala sobre coleção para plus size: “Elas querem roupa justa e tendência, só que em tamanho maior”
:: Duas novas marcas com tamanhos maiores que vale a pena conhecer
:: 3 marcas que criam lingeries incríveis para plus size

Sinceramente? Não acho, mesmo, que a Anitta seja preconceituosa conscientemente com pessoas gordas. Basta ver que a cantora convidou uma bailarina plus size para dançar ao lado dela no clipe de Paradinha. Logo depois, contratou outras duas bailarinas gordas para seu corpo de baile: as musas Tatiana Lima e Thaís Carla (na foto abaixo). Mas justamente por ter tocado no ponto da representatividade é que ela precisa se dar (ainda mais) conta do impacto de suas palavras.

2138742-bailarinas-plus-size-de-anitta-recebem-c-950x0-2

Como bem disse a sábia amiga de timeline Flávia Durante, não dá para cobrar militância de artista pop. Só que também não dá para ignorar a influência que pessoas como Anitta têm na vida dos jovens – incluindo meninas e mulheres com a autoestima em formação. Pensa só: Anitta tem mais de 23 milhões de seguidores, que acompanham diariamente suas postagens no Instagram. Primeiro, esse povo todo liga a TV e depara com a cantora rebolando ao lado de bailarinas gordas. Lindo e inclusivo. Só que, depois, veem a mesma Anitta fazendo brincadeiras nada simpáticas sobre o “jeito” que uma pessoa gorda anda, além de dizer que ficaria irreconhecível com quilos a mais. Incoerência, no mínimo, né? Sem contar que esse tipo de piada sem graça pode virar motivo para muita gente que têm problemas com o próprio corpo detestar ainda mais a imagem refletida no espelho.

É por isso que o espaço especial que esta coluna ocupa aqui em Donna fica reservado a um pedido de reflexão: não custa a gente pensar no que fala, né? Pode não ser por mal, pode não ser por preconceito escancarado – ainda que, talvez, reflita alguma insegurança interna que temos. Mas a gente precisa pensar nos efeitos que as nossas palavras ou brincadeiras podem ter para quem nos ouve. E isso não é mimimi ou patrulha do politicamente correto, é apenas empatia com o próximo. Ainda mais quando este tal próximo é adolescente, cheio de inseguranças com a própria imagem. Anitta pode (e, acredito eu, deve) ter falado de brincadeira, mas fica a lição: não dá para ignorar os reflexos do que a gente diz.

Para pensar, poderosa(s)!

 

Veja também
:: 5 coisas que as mulheres gordas sempre ouviram que não, mas pode SIM fazer
:: Semana de moda de NY apresenta desfile com modelos plus size; inspire-se nas tendências

:: 5 razões para assistir “Gostosas, Lindas e Sexies”, longa que estreia com quatro protagonistas plus size
:: Look de Fabiana Karla no Emmy Internacional quebra mitos sobre moda plus size
:: Modelos plus size desfilam na SPFW e comemoram: “As pessoas precisam saber que o gordo existe”
:: Por que essa foto de Ashley Graham andando de bike é tão inspiradora – para gordinhas ou não

 

UPDATE!

O blog ganhou sua própria página no FacebookClica aqui para conhecer (e dar aquele like amigo! haha)

pluscardnovo